Um dos críticos mais famosos do Bitcoin e chefe do JP Morgan, Jamie Dimon, que já chamou o Bitcoin de “fraude” e afirmou que a criptomoeda seria útil apenas “se você fosse um traficante de drogas ou assassino”.

Contudo, parece que o jogo virou para o bilionário americano. O navio de sua companhia foi apreendido pelas autoridades da Alfândega estadunidense, que encontraram uma quantidade absurda de cocaína na embarcação em 17 de Junho, segundo comunicado oficial.

Havia 20 toneladas de cocaína no valor de US$ 1,3 bilhão (cerca de R$ 4,9 bilhões) na embarcação do JP Morgan, operada pela Mediterranean Shipping Co.

Trata-se de uma das maiores apreensões de drogas da história dos EUA. Leia a respeito da ética da liberação total das drogas clicando aqui.

O container foi apreendido da remessa do navio nesta semana, na Filadélfia, após encontrarem as drogas.

Como frisado pelo portal Criptonizado: “A ironia do caso é ainda maior quando se analisa o fato de que os grandes bancos estão cada vez mais ligados à lavagem de dinheiro e tráfico de drogas, enquanto o Bitcoin — duramente criticado por gigantes dessa indústria — tem menos de um por cento de suas atividades conectadas à práticas ilícitas”.

Nos últimos seis meses, o Bitcoin esteve envolvido em US$ 515 milhões em atividades consideradas ilegais, enquanto a companhia de Jamie Dimon conseguiu, em um único incidente, estar ligada a atividade criminalizada pelo estado de tráfico de drogas no valor de US$ 1,3 bilhão.

A polícia está investigando o caso. Foi informado que pelo menos seis membros da tripulação foram presos, de acordo com o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos.

“Se você estivesse na Venezuela, no Equador, na Coréia do Norte ou em lugares desse tipo, ou se fosse um traficante de drogas, um assassino, coisas assim, é melhor usar Bitcoins do que dólares americanos. Portanto, pode haver um mercado para isso, mas seria um mercado limitado”, afirmou Dimon.

Fonte: Criptonizando


Leia também: