Plataforma de mensagens, Telegram, tem sido alvo de um ataque cibernético coincidindo com protestos de rua maciços em Hong Kong.

O Telegram anunciou em seu Twitter oficial sobre o ataque de negação de serviço distribuído (DDoS), dizendo que seus servidores estavam cheios de “GADZILLIONS de pedidos de lixo”, o que impossibilita que o servidor processe “solicitações legítimas”. Isso pode levar a problemas de conexção para os usuários. No entanto, de acordo com Telegram, o ciberataque não foi uma ameaça aos dados do usuário.

O CEO da Telegram, Pavel Durov, confirmou que o ataque vinha da China. “Endereços IP provenientes, principalmente, da China. Historicamente, todo o DDoS do tamanho de um ator estadual (200-400 Gb/s) que nós experimentamos coincidiu no tempo com os protestos em Hong Kong (coordenado em @telegram)”, ele tuitou.

Os manifestantes usavam o Telegram para coordenar seus movimentos e ações. O South China Morning Post informou que, no início desta semana, Ivan Ip, um homem que dirigia um grande grupo de mensagens do Telegram, foi preso pela polícia.

Fonte: The Block Crypto