Liberstad – um projeto de cidade privada com viés anarcocapitalista localizado na Noruega – adotou uma criptomoeda nativa para a sua plataforma inteligente baseada em blockchain como meio oficial de troca, de acordo com um comunicado de imprensa publicado em 12 de fevereiro.

Fundada em 2015, Liberstad é o resultado do projeto Libertania, administrado pela organização sem fins lucrativos Liberstad Drift Association, que visa criar uma cidade-sociedade autônoma e sem a interferência estatal – evitando impostos em favor de serviços financiados pelo setor privado. Conforme relatado, os terrenos livres da cidade foram vendidos pela primeira vez por Bitcoin (BTC) ou Coroa Norueguesa em 2017, com cerca de 100 potenciais residentes que teriam comprado o projeto em abril de 2018, como pode ser visto no vídeo abaixo:

Liberstad na TV nacional na Noruega (vídeo com legendas em português)

John Toralf Holmesland, chefe da Liberstad Drift AS, imputou a inspiração do projeto aos princípios da ideologia libertária e da não-agressão, escrevendo:

Queremos uma sociedade onde as pessoas decidam sobre si mesmas e possam viver juntas sem autoridades governamentais. Queremos uma sociedade sem coerção governamental, chantagem, vigilância ou violência desnecessária.

A cidade nascente adotou a criptomoeda “City Coin” (CITY), que será o único meio de troca no mercado fechado de Liberstad: as moedas fiduciárias nacionais são proibidas.

A CITY é interoperável com a blockchain da cidade, a “City Chain”, que permite que os habitantes e empresários da cidade construam e ofereçam serviços “em uma base privada, interna e voluntária” para substituir provisões públicas administradas pelo estado.

O comunicado de imprensa afirma que a arquitetura sem intermediário e que não requer confiança é o “ingrediente chave para o desenvolvimento e a prosperidade de sociedades urbanas sustentáveis ​​e livres”.

Futuros residentes vão interagir com a plataforma City Chain por meio de um aplicativo municipal chamado “City Hub”: um painel que permitirá à comunidade realizar uma série de funções cívicas – incluindo gerenciamento de identidade, criação e votação de iniciativas em toda a cidade, registrando propriedade, contrato de seguro e muito mais.

A City Coin usa um algoritmo de consenso de prova de participação (PoS) no qual validadores de bloco são selecionados com base no número de tokens que um determinado nó tem em sua carteira, recompensando os participantes com tokens em troca de proteger a rede.

A Liberstad é uma das muitas cidades inteligentes em potencial para abraçar o blockchain mundialmente: os Emirados Árabes Unidos estão buscando ativamente a transformação de Dubai na primeira megalopolis inteligente baseada em blockchain até 2020. Leia mais clicando aqui.

Na China, uma divisão da gigante de e-commerce JD.com estabeleceu recentemente um instituo para a pesquisa de cidades inteligentes (Smart City Research Institute em inglês) para acelerar o desenvolvimento de cidades inteligentes com o uso de inteligência artificial, big data e tecnologias blockchain.

Fonte: Cointelegraph