A Lituânia está preparando novas regras para controlar as transações de criptomoedas, exigindo que as empresas provem a identidade dos clientes, segundo um reporte do dia 12 de Junho do noticiário local Delfi.

Como parte de suas obrigações de impor regulamentações da União Européia contra a lavagem de dinheiro, o ministério das finanças da Lituânia buscará formalizar completamente as operações de criptomoedas.

O mesmo ocorreu com outro país europeu: Malta. Você pode ler a respeito clicando aqui.

O parlamento aprovou o movimento durante uma sessão na Quarta-Feira, enquanto um prazo permanece incerto para a implementação.

Uma vez que as regras entrem em vigor, quaisquer transações no valor de mais de €1.000 (R$4.369,48) envolvendo criptomoedas – seja com moeda fiduciária ou com outras criptomoedas – terão que enfrentar requisitos de relatórios rigorosos.

Exchanges ou empresas similares terão que coletar informações de identidade sobre o comprador, enquanto grandes operações acima de €15.000 (R$ 65.542,20) os obrigarão a informar o Serviço de Investigação de Crimes Financeiros da Lituânia.

Regras ligeiramente diferentes se aplicarão aos emissores de tokens – i.e. ofertas iniciais de moeda – para os quais os requerimentos de identificação entrarão em vigor assim que a venda ultrapassar €3.000 (R$13.108,44).

Atualmente, a Lituânia não regula formalmente as exchanges.

As mudanças ocorrem à medida que as jurisdições em todo o mundo se preparam para implementar recomendações controversas da Força-Tarefa de Ação Financeira intergovernamental.

As diretrizes que todas as nações do G20 concordaram, como reportado anteriormente, serão publicadas em 21 de Junho e vão impor demandas semelhantes de identificação em transações baseadas em criptomoedas.

Fonte: Cointelegraph


Leia também:
uso de criptomoedas pode virar crime na Índia
Rússia pode aprovar lei para tornar mineração de criptomoedas ilegal