O ministro da Economia Paulo Guedes poderá dar um aval para baixar uma resolução que prevê zerar alíquotas de importação sobre bens de informática, telecomunicações e capital que tenham produtos nacionais semelhantes. Isso significa que importar celular ou notebook poderá ficar mais barato em breve.

A medida faz parte da abertura comercial prometida pelo ministro Paulo Guedes durante a campanha ao lado do atual presidente Jair Bolsonaro, afirma a Folha de S.Paulo. Caso seja implementada, será a primeira iniciativa do tipo.

Segundo a publicação, pessoas envolvidas nas discussões sobre o imposto zero dizem que a resolução ainda não entrou em vigor porque Paulo Guedes espera a aprovação da reforma da Previdência. Ele, inclusive, já ameaçou mais de uma vez deixar o cargo caso não fosse aprovada. Por outro lado, há a possibilidade de um revés: ontem, no dia 1 de Julho, aconteceu uma votação capitaneada pelos protecionistas que se dizem defensores da indústria local.

O que foi aprovado pela Camex: alterar o regime atual de ex-tarifário que tem um modelo que zera, temporariamente, alíquotas para importação de máquinas, equipamentos e insumos de tecnologia sem similares na indústria local. Isso significa que eletrônicos importados com equivalentes na indústria nacional deixariam de ser taxados.

O empresariado nacional ficou preocupado com a notícia, mas, ao mesmo tempo, Guedes defendeu a ideia de jogar a indústria nacional na “cova dos leões” para “despertar seus instintos de sobrevivência”. O intuito seria forçar uma competição e um aumento na produtividade das empresas locais.

Graças à concorrência, a tendência é a de que os preços diminuam e a qualidade dos produtos oferecidos aumente, como demonstrado neste artigo do economista estadunidense Gary North.

Atualmente, as importações de bens de capital são taxadas em 14% e as de bens de informática e telecomunicações, em 16%. Em anúncio anterior, a equipe de Guedes pretendia baixar as alíquotas para 4% até o último ano em que Bolsonaro ficará no poder, como ele comentou em seu Twitter recentemente.

Fonte: Tecmundo