PewDiePie começará a fazer transmissões ao vivo pela plataforma de streaming DLive a partir do dia 14, como anunciou a empresa em um comunicado de imprensa na última Terça-Feira.

O DLive, um aplicativo de transmissão baseado em blockchain, que inclui um sistema de recompensas para criadores de conteúdo, será “a plataforma exclusiva para transmissões ao vivo” do famoso YouTuber sueco Felix Kjellberg, mais conhecido como PewDiePie.

Baseado no protocolo blockchain descentralizado Lino, o DLive pretende permitir que tanto os criadores de conteúdo quanto os espectadores ganhem recompensas por suas participações na criação e consumo de conteúdo na forma de tokens Lino, a criptografia natural do blockchain Lino. De acordo com o comunicado de imprensa, o DLive tem agora mais de 3 milhões de usuários ativos mensais e 35.000 streamers ativos.

PewDiePie confirmou a notícia em seu canal no YouTube no dia 9 de Abril, alegando também que o DLive combina bem com ele porque ele é tratado “como um parceiro real”.

Ele também anunciou em seu Twitter que fará doações no valor de US$ 50.000 para criadores da plataforma.

Lançado em 2010, o PewDiePie é um canal cômico que se adaptou às demandas de cada época do YouTube e alcançou a marca de 93 milhões de inscritos e 21 bilhões de visualizações de vídeos até o momento, adquirindo a classificação do canal com maior número de inscritos e décimo canal mais visto do site.

A medida vem de uma recente petição para proibir o canal no YouTube, já que ele foi acusado de ser “uma das maiores plataformas de conteúdo de supremacia branca”. A petição, que acumulou mais de 81.000 assinantes no momento, teria sido criada após PewDiePie ter sido mencionado pelo atirador de Christchurch antes de seu terrível ataque a duas mesquitas da Nova Zelândia.

Após a petição, Felix afirmou que as acusações contra ele eram “descaradamente deturpadas e desinformando as pessoas”, acrescentando que muitas delas são “apenas mentiras”.

Confira a matéria original clicando aqui.