Os servidores que Edward Snowden usava para vazar milhares de documentos para jornalistas foram pagos com uso de Bitcoin (BTC), revelou o denunciante da National Security Agency (NSA) durante a Bitcoin 2019 Conference no dia 27 de junho.

Snowden estava trabalhando como subcontratado da CIA em 2013, quando seu vazamento revelou que empresas de telecomunicação e governos estavam envolvidos em programas de vigilância em massa “quase orwellianos” que varreram os registros telefônicos de americanos desavisados.

Falando através de uma vídeo-chamada da Rússia, ele descreveu a capacidade de trocar e transacionar sem ser observado e gravado “é a base de todos os direitos” — e disse que o bitcoin estava ajudando a fornecer privacidade em uma era de vigilância reforçada.

Ele também alertou sobre o impacto negativo que os smartphones e as redes sociais terão no nosso direito à privacidade no futuro, adicionando:


Costumava ser que os governos poderiam observá-lo, mas agora tudo isso acontece com dispositivos pelos quais nós mesmos pagamos. E enquanto fazemos isso, a privacidade deixa de ser o status quo e a liberdade deixa de ser o estado natural das coisas.

Snowden, que recebeu uma permissão de residência de três anos na Rússia, também insistiu que o princípio por trás do direito à privacidade não é sobre ter algo a esconder.

Em outro lugar durante sua aparição, Snowden rejeitou as críticas de que o Bitcoin é usado principalmente por criminosos, argumentando: “Há muito mais criminosos que usam o dólar”.

No ano passado, Snowden expressou preocupação com o Bitcoin — alegando que a blockchain da criptomoeda era “devastadoramente pública” e passível de abuso.

Na época, ele expressou seu apoio ao ZCash, alegando que era a altcoin “mais interessante” do mercado por causa de sua configuração de privacidade.

Fonte: Cointelegraph