A gigante do varejo Walmart anunciou que se juntou à MediLedger. A empresa está desenvolvendo uma blockchain projetada para rastrear a procedência dos remédios. A rede é construída sobre a versão corporativa da blockchain Ethereum e usa o cliente Parity e a prova de autoridade.

Os membros do MediLedger já incluem o fabricante farmacêutico Pfizer, bem como grandes atacadistas farmacêuticos dos EUA, como a McKesson, AmerisourceBergen e Cardinal Health.

Esta é a segunda iniciativa de blockchain de alta visibilidade do Walmart. O gigante do varejo também faz parte da IBM Food Trust, a cadeia de fornecimento de alimentos construída sobre blockchain da IBM Hyperledger Fabric. Agora, o Walmart também planeja colocar remédios no blockchain. De acordo com o relatório anual do Walmart, “Saúde e bem-estar” – que inclui a venda de remédios e remédios sem receita médica – constitui um décimo das vendas da empresa, no valor de US$ 35 bilhões.

Recentemente, a rede de supermercados francês Carrefour e o conglomerado suíço de alimentos Nestlé anunciaram em comunicado que estavam colocando sua linha instantânea de batata triturada em uma blockchain

A MediLedger também está planejando lançar um projeto piloto com a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos neste mês. Até 2023, a agência precisa lançar um sistema digital para rastreamento e verificação de medicamentos prescritos. Atualmente, está testando várias opções, incluindo algumas que incluem a tecnologia blockchain.

Ao contrário dos sistemas de saúde administrados pelo governo, o sistema de saúde dos EUA é fragmentado. Portanto, a implementação de um sistema centralizado pode ser difícil, e uma solução blockchain descentralizada conectando vários bancos de dados em silos pode ser mais vantajosa.

Fonte: The Block Crypto

Leia também: