Nesta segunda-feira, dia 8 de Abril, o Diretório Executivo do FMI aprovou uma assistência financeira ao Equador no valor de US$4,2 bilhões, e ainda permitirá um desembolso imediato de US$652 milhões. “As autoridades equatorianas estão implementando um amplo programa de reformas com o objetivo de modernizar a economia e abrir o caminho para um crescimento sólido, sustentado e equitativo”, afirmou a diretora do FMI, Christine Lagarde, ao término da reunião do Diretório. Veja a notícia completa aqui.

Lagarde também afirmou que as políticas do governo do Equador estariam destinadas a reforçar a fiscalização e melhorar a competitividade, contribuindo assim com a diminuição das vulnerabilidades, robustecendo a dolarização, e criando empregos, ainda disse que devido a todas essas intenções, valia a pena dar assistência ao país.

Anna Ivanova, chefe da missão do FMI para o Equador disse ainda que o plano “inclui um apoio financeiro de quase US$ 6 bilhões nos próximos três anos do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), do Fundo Latino-Americano de Reservas (FLAR) e do Banco Mundial”.

Uma polêmica recente envolvendo o governo do Equador teve o co-fundador do WikiLeaks, Julian Assange, preso na embaixada equatoriana em Londres como foco. O site é responsável por vazamentos de inúmeros documentos governamentais e informações sigilosas. Toda essa polêmica fez com que o número de doações para o site crescesse de forma nunca antes vista, como pode ser visto aqui.