Por: Murray N. Rothbard

Nosso país é assolado por muitos mitos econômicos que distorcem o pensamento público sobre problemas importantes e nos levam a aceitar políticas governamentais insalubres e perigosas. Aqui estão dez dos mais perigosos desses mitos e uma análise do que está errado com eles. (Murray N. Rothbard)

Mito 3: “Aumentos de impostos são uma cura para os déficits.”

As pessoas que estão preocupadas com o déficit, infelizmente, oferecem uma solução inaceitável: aumentar os impostos. Curar déficits aumentando os impostos equivale a curar a bronquite de alguém ao atirar nele. A “cura” é muito pior que a doença.

Se o governo está disposto a ter, digamos, um déficit de 20%, ele vai lidar com altas receitas aumentando ainda mais os gastos para manter a mesma proporção do déficit.

Por uma razão, como muitos críticos apontaram, o aumento de impostos simplesmente dá ao governo mais dinheiro, e assim os políticos e burocratas provavelmente reagirão aumentando ainda mais os gastos. Parkinson disse tudo em sua famosa “Lei”: “Despesas sobem para encontrar renda”. Se o governo está disposto a ter, digamos, um déficit de 20%, ele vai lidar com altas receitas aumentando ainda mais os gastos para manter a mesma proporção do déficit.

Mas, mesmo à parte desse julgamento perspicaz em psicologia política, por que alguém deveria acreditar que um imposto é melhor do que um preço mais alto? É verdade que a inflação é uma forma de tributação na qual o governo e outros primeiros recebedores de dinheiro novo são capazes de expropriar os membros do público cuja renda aumenta mais tarde no processo de inflação. Mas, pelo menos com a inflação, as pessoas ainda estão colhendo alguns dos benefícios da troca. Se o pão sobe para US $ 10 por pão, isso é lamentável, mas pelo menos você ainda pode comer o pão. Mas se os impostos sobem, seu dinheiro é expropriado para o benefício de políticos e burocratas, e você fica sem serviço ou benefício. O único resultado é que o dinheiro dos produtores é confiscado em benefício de uma burocracia que acrescenta insulto à injúria ao usar parte desse dinheiro confiscado para empurrar o público.

Não, a única boa cura para os déficits é simples, mas praticamente não mencionada: cortar o orçamento federal. Como e onde? Em qualquer lugar e em todo lugar.