sábado, dezembro 3, 2022

A KGB continua administrando a Rússia e sempre o fez

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Após a queda da União Soviética, a Rússia parecia democrática na superfície. Ele dava a pretensão de ser um estado capitalista dócil que seria integrado à economia mundial e ao sistema político.

Mas, quando examinamos sua estrutura de poder, vemos que a mesma organização que infligiu terror na União Soviética ainda está dando as cartas e não se envergonha de seu legado.

Existe um país que prende adolescentes por explodirem versões fictícias de prédios do governo em videogames; a sede de uma quadrilha criminosa que tem governado o país…

A polícia política sempre controlou a Rússia

Em 20 de dezembro de 1917, uma das organizações mais mortíferas do século 20 e 21 foi fundada em Moscou.

Então chamado CheKa, equivalia à polícia política soviética, e conseguiu exercer seu controle totalitário sobre a Rússia, e continua a fazê-lo hoje.

CheKa passou por várias mudanças de nome, de GPU para NKVD para KGB e, eventualmente, de KGB para SVR/FSB. O nome pode ter mudado, mas suas ações permaneceram as mesmas.

Eles começaram sua “carreira” assassinando a espinha dorsal da nação russa na década de 1920, sequestrando crianças pequenas para abusar delas e depois recrutando-as como máquinas de matar, enterrando milhares de finlandeses e poloneses em valas comuns rasas na década de 1940.

Quando o terror perdeu força após a morte de Joseph Stalin, o primeiro secretário do Partido Comunista da União Soviética Nikita Khrushchev exportou seus assassinatos para o exterior, matando ou envenenando qualquer inimigo ideológico. A campanha de mentiras continuou.

Um novo tipo de guerra foi travado contra o Ocidente: a guerra de propaganda. Isso incluía branquear os crimes comunistas, destruir a educação e espalhar várias formas de desinformação.

Os soviéticos usaram a guerra psicológica como projeção, criação de conflitos e manipulação emocional; um favorito que ainda permanece hoje é rotular seus oponentes como “fascistas”.

Hoje uma bandeira diferente voa sobre o Kremlin. No entanto, isso não significa que a Guerra Fria acabou. A KGB perdeu seu poder apenas temporariamente após a falência da década de 1990, mas o recuperou em 1999. A Rússia não rompeu toda a continuidade legal com a União Soviética; os oficiais comunistas não foram presos; os arquivos do século 20 não foram tornados públicos.

Putin é apenas uma iteração moderna do mesmo sistema autoritário

Em vez disso, os oficiais da KGB agora residem no Kremlin, comemorando o dia de Chekist em 20 de dezembro, quando sua organização foi fundada. Eles controlam todos os processos legais, sem separação de poderes e sem estado de direito.

Jornalistas que sabem muito de suas campanhas são freqüentemente encontrados mortos, e as investigações param misteriosamente (como no caso de Anna Politkovskaya, que se especializou na guerra da Chechênia).

No ano de 1999, a KGB conseguiu instalar seu homem, Vladimir Putin, no Kremlin. Ele então se dirigiu aos agentes da organização dizendo: “Estamos de volta ao poder, desta vez – indefinidamente”.

Por que “voltar”? Porque a estrutura de emprego entre a KGB e a FSB não mudou. Putin então procedeu a restaurar o hino russo à sua melodia soviética e mudou os símbolos usados ​​pelo exército russo de volta para os dos tempos soviéticos.

Em 2000, Nikolai Patrushev, diretor do FSB, deu uma entrevista a um jornal chamado Komsomolskaya Pravda, um dos maiores meios de comunicação da Rússia (a palavra “Komsomolskaya” refere-se a Komsomol, a All-Union Leninist Young Comunista League estabelecida em 1918) , declarando isso:

“Não jogamos fora nossa história. Estamos admitindo abertamente que a história de Lubyanka [a sede da CheKa/GPU/NKVD/KGB/FSB] no século 20 é a nossa história.”

Que citação arrepiante. Orgulhando-se abertamente dos assassinatos em massa, das mentiras e do reinado do controle total, e admitindo abertamente sua continuidade com a KGB. Não é um segredo. Está sendo comemorado. Naturalmente, esta entrevista foi publicada em 20 de dezembro.

A Rússia nunca mudará até que seu povo recupere o controle

A Guerra Fria pode ter acabado para o Ocidente, mas não acabou para as pessoas enjauladas do Oriente.

Há um livro sobre a continuidade KGB/FSB, a ascensão de Putin nas fileiras dessa organização e a ausência do Estado de Direito na Rússia moderna escrito por dois historiadores – Yuri Felshtinsky e Vladimir Pribylovsky.

Mas eles não vão mais escrever nada juntos – em 2016, Pribylovsky foi encontrado morto em seu apartamento em Moscou.

Quando lidamos com a Rússia moderna, estamos lidando com um estado totalitário que está em um nível ético totalmente diferente. Eles celebram o poder. Eles vêem as negociações como fraqueza. Eles vão retaliar contra qualquer pessoa eslava oriental que ouse querer ser livre, e eles não estão preocupados com os direitos humanos.

O comunismo era uma face desse regime, mas com o comunismo extinto eles operam sob uma nova bandeira; é qualquer ideologia que promova sua agenda para manipular as pessoas – da extrema direita à extrema esquerda.

Podemos comprar alguns anos de desescalada do conflito atual, mas até que os russos livres retirem seu país das mãos da KGB/FSB – isto é, até que a União Soviética caia na realidade – sua natureza violenta não mudança.

Enquanto a guerra de agressão de Vladimir Putin continua, se você quiser ajudar o povo da Ucrânia, você pode fazer uma doação clicando no botão abaixo e marcando a caixa “Campanha de Emergência da Crise da Ucrânia”.

Artigo escrito por Agnieszka Plonka, publicado no Students For Liberty e traduzido por @joaquim-gabriel

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA