Casa Branca afirma que mais gastos do governo irão ajustar inflação

Enquanto os trabalhadores norte americanos lutam contra o aumento da inflação – o índice de preços ao consumidor subiu 6,2% desde outubro, sendo esse o maior aumento anual nos últimos 31 anos – o governo Biden tem um plano: gastar muito mais dinheiro.

O presidente Joe Biden disse esta semana que os gastos do governo autorizados pela agenda “Build Back Better” tornará os bens acessíveis novamente, subsidiando os custos dos americanos e tornando os trabalhadores mais produtivos.

Um artigo do New York Times que tenta defender o plano administrativo do governo, admite, no entanto, que o resultado de todos esses gastos poderia ser um aumento temporário da inflação:

Uma ampla gama de economistas concorda com o presidente – mas apenas em parte. Eles geralmente aceitam seu argumento de que, no longo prazo, o projeto de lei e seu plano de infraestrutura poderiam tornar as empresas e seus trabalhadores mais produtivos, o que ajudaria a aliviar a inflação à medida que mais bens e serviços fossem produzidos em toda a economia.

Mas muitos pesquisadores, incluindo uma empresa de previsões que Biden costuma citar para reforçar suas propostas, dizem que o projeto está estruturado de uma forma que pode aumentar a inflação no próximo ano, antes que os preços tenham tempo de se estabilizar.

Alguns economistas e legisladores se preocupam com o momento, argumentando que o risco de alimentar mais inflação quando ela já atingiu níveis recordes, supera os benefícios potenciais de se aprovar uma grande conta de gastos que poderia ajudar a manter os preços sob controle enquanto aborda outras metas sociais. Os preços aumentaram 6,2% no ano passado, este é o ritmo mais rápido em 31 anos e muito acima da meta de inflação do Federal Reserve.

O ex-secretário do Tesouro Larry Summers, que também foi diretor do Conselho Econômico Nacional durante o governo Obama, criticou Biden nesta semana por não levar a inflação a sério. De acordo com o New York Post:

Acho que estamos acelerando em um ritmo muito rápido”, disse Summers ao “Cuomo Prime Time” da CNN na quarta-feira. “É uma espécie de estrada em declive. E não vai ser tão fácil pisar no freio aqui. E é por isso que estou preocupado.

Summers falou no mesmo dia em que o Departamento do Trabalho anunciou que o Índice de Preços ao Consumidor, que mede o custo de uma cesta de bens e serviços, bem como energia e alimentos, saltou 6,2% em outubro em relação ao ano anterior – o maior aumento em 12 meses desde 1990.

Acho que os legisladores em Washington, infelizmente, quase todos os meses estão atrasados”, disse Summers na quarta-feira. Eles falaram que era transitório; não parece ser tão transitório assim. Eles disseram que era devido a alguns fatores específicos; não parece ser alguns fatores específicos. Eles disseram que quando setembro chegasse e as pessoas voltassem para a escola, a força de trabalho iria crescer e isso não aconteceu.

O senador Joe Manchin (D–W.Va.), que dará o voto decisivo em uma parte significativa da legislação de gastos, é conhecido por estar profundamente preocupado com a inflação e ele pode acabar ou atrasar a agenda “Build Back Better” para prevenir que as coisas fiquem piores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Greve das universidades federais
Política

Greve das Universidades Federais mantém tensão entre professores e o Governo Lula

A greve de universidades federais no país, que já dura quase dois meses, segue ativa, mantendo a tensão entre os professores federais e o Governo Lula. Por um lado, professores em greve afirmam que continuarão com a greve até receberem aumentos salariais. O governo, por sua vez, afirma que não há mais espaço no orçamento […]

Leia Mais
Macron
Política

Macron dissolve parlamento e convoca eleições legislativas antecipadas na França

No último domingo (9), o presidente da França, Emmanuel Macron, dissolveu o parlamento do país, a Assembleia Nacional, e convocou eleições legislativas antecipadas. A decisão do presidente francês foi tomada após uma pesquisa de boca de urna que mostrou que seu partido, Renascimento, seria derrotado pelo partido de oposição, União Nacional (RN), nas eleições parlamentares. […]

Leia Mais
Jorge Seif
Política

Senador Jorge Seif admite que defende imposto sobre importações porque paga o seu salário

O senador Jorge Seif (PL-SC), que se diz liberal, votou sim pela em 20% das compras internacionais até 50 dólares, que foi aprovada na última quarta-feira, 5, a taxação. O senador justificou seu voto, admitindo que tal imposto paga seu salário. O senador ainda recorreu às velhas falácias protecionistas e estatistas em defesa dos impostos […]

Leia Mais