Casa Branca sob Biden pressionou o Facebook para censurar publicações sobre vazamentos de laboratório

Censura de postagens sobre covid no Facebook

A Casa Branca do presidente Joe Biden pressionou a Meta, a empresa controladora do Facebook e do Instagram, a censurar o conteúdo contrário à COVID-19, incluindo especulações sobre o vírus ter escapado de um laboratório, ceticismo em relação à vacina e até mesmo piadas.

“Alguém pode me lembrar rapidamente por que estávamos removendo – em vez de remover/rotular – alegações de que a Covid é produzida pelo homem?”, perguntou Nick Clegg, presidente de assuntos globais da empresa, em um e-mail de julho de 2021 para seus colegas de trabalho.

Um moderador de conteúdo respondeu: “Estávamos sob pressão da administração e de outros para fazer mais. Não deveríamos ter feito isso”.

Esses e outros e-mails obtidos pelo deputado Jim Jordan (R-Ohio) e pelo The Wall Street Journal fornecem mais evidências dos amplos esforços do governo federal para conter a dissidência on-line. Como relatei na edição de março de 2023 da Reason, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) se comunicavam frequentemente com os moderadores de conteúdo do Facebook e os pressionavam a retirar publicações que contradiziam a orientação de consultores de saúde federais:

De acordo com uma série de documentos confidenciais obtidos pela Reason, os consultores de saúde do CDC também tiveram uma participação significativa nas políticas de mídia social do Facebook durante a pandemia. Eles eram consultados com frequência, às vezes diariamente. Eles estavam ativamente envolvidos nos assuntos dos moderadores de conteúdo, fornecendo orientação constante e em constante evolução. Eles solicitavam atualizações frequentes sobre os tópicos que eram tendência nas plataformas e recomendavam quais tipos de conteúdo deveriam ser considerados falsos ou enganosos. “Aqui estão duas questões sobre as quais estamos vendo uma grande quantidade de informações erradas e que gostaríamos de sinalizar para todos vocês”, diz uma nota de um funcionário do CDC. Outro e-mail com exemplos de publicações do Facebook anexados começa: “BOLO para uma pequena, mas crescente área de informações errôneas”.

Esses arquivos do Facebook mostram que a plataforma respondeu com incrível deferência. O Facebook solicitava rotineiramente ao governo que examinasse afirmações específicas, inclusive se o vírus era “produzido pelo homem” em vez de ter origem zoonótica. (O CDC respondeu que uma origem artificial era “tecnicamente possível”, mas “extremamente improvável”). Em outros e-mails, o Facebook perguntou: “Para cada uma das seguintes alegações, que identificamos recentemente na plataforma, você pode nos dizer se: a alegação é falsa; e, se acreditada, essa alegação poderia contribuir para a recusa de vacinas?”

O fato de a Casa Branca estar envolvida exatamente no mesmo comportamento que o CDC não é nem um pouco surpreendente; na verdade, já é sabido que os funcionários de Biden criticaram os moderadores de mídia social, embora esses e-mails específicos não tenham sido divulgados anteriormente.

A reportagem do Wall Street Journal demonstra mais uma vez que as próprias plataformas estavam profundamente céticas em relação às orientações do governo:

“A WH já indicou anteriormente que acha que o humor deve ser removido se tiver como premissa que a vacina tem efeitos colaterais, portanto, esperamos que ela também queira ver removido o humor sobre a hesitação em relação à vacina”, escreveu o vice-presidente.

“Não consigo ver Mark nem em um milhão de anos se sentindo confortável em remover isso – e eu não recomendaria”, escreveu Clegg em um e-mail subsequente, uma aparente referência ao CEO Mark Zuckerberg.

Em alguns dos e-mails, os executivos do Facebook expressaram preocupação com o fato de que a remoção de publicações nas quais os americanos expressavam hesitação sobre a vacinação poderia, na verdade, torná-los menos propensos a tomar a vacina.

Todas essas revelações mostram que é inútil ficar com raiva das empresas de mídia social – elas foram colocadas em uma posição muito difícil. Os defensores da liberdade de expressão devem direcionar sua ira para o governo federal e exigir que os funcionários do governo parem de se envolver nesse comportamento.

Artigo escrito por Robby Soave, publicado na Reason e traduzido por @rodrigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Elon Musk e Alexandre de Moraes
Ética

Elon Musk ataca censura de Alexandre de Moraes e deixa esquerda em polvorosa

Na última sexta-feira, o CEO da rede social X, Elon Musk, respondeu a uma publicação de Alexandre de Moraes questionando o porque dele estar impondo tanta censura no Brasil. Na publicação em questão, Moraes parabenizava o ex-ministro do STF, Ricardo Lewandowski pelo novo cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública. Confira abaixo: Elon Musk […]

Leia Mais
Roseane Murray
Ética

O ataque de pitbulls contra a escritora e poetisa Roseane Murray

Na manhã de ontem (5), a escritora e poetisa Roseana Murray, de 73 anos, havia sofrido um violento ataque de 3 pitbulls enquanto caminhava em Saquarema, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. O incidente reacende a discussão sobre possuir ou não cachorros da raça pitbull. O inicidente A escritora e poetisa Roseane Murray […]

Leia Mais
Álcool 70%
Ética

Anvisa proíbe venda de álcool 70% em supermercados e farmácias a partir de 30 de abril

Por decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o álcool líquido 70% terá sua venda em farmácias e supermercados proibida a partir do dia 30 de abril. A agência já havia proibido o produto em 2002 e havia feito uma breve liberação durante a pandemia devido a escassez de álcool em gel. Segundo a […]

Leia Mais