terça-feira, dezembro 6, 2022

Cazaquistão declara estado de emergência após protestos

Manifestantes invadiram vários prédios públicos e houve confronto com a polícia

Nesta quarta-feira, dia 5, milhares de manifestantes no Cazaquistão indignados com a alta do preço do gás invadiram vários prédios públicos do país, o que levou a confrontos com a polícia e a prisão de diversos manifestantes.

Diante da situação, o presidente Cazaquistão Kassym Jomart Tokayev, destituiu seu governo e declarou estado de emergência em duas regiões do país até o dia 19 de janeiro. O mesmo também instituiu um toque de recolher de 23h até às 7h.

Durante uma das manifestações, a sede da prefeitura de Almaty, a capital econômica do Cazaquistão, foi invadida. A polícia foi acionada e durante confronto com os manifestantes usou granadas de efeito moral e gás lacrimogêneo.

Após o ato, mais de 200 pessoas foram detidas em Almaty e Taraz, no sul, e dezenas ficaram feridas durante os protestos desencadeados pelo aumento dos preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) muito usado como combustível no oeste do Cazaquistão.

No vídeo abaixo, é possível ver o momento em que os manifestantes invadem a sede da prefeitura de Almaty:

Presidente do Cazaquistão pede ajuda a Putin para conter as manifestações

A situação chegou em um nível tão delicado que o presidente do país resolveu apelar a ajuda do exército russo para conter as manifestações.

O pedido foi feito ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante um discurso televisionado, onde ele recorreu à Organização do Tratado de Segurança Coletiva – uma aliança militar liderada pela Rússia e que conta com nações da antiga União Soviética, incluindo Belarus Quirguistão e Tajiquistão.

Almaty foi atacada, destruída, vandalizada, os residentes de Almati foram vítimas de ataques de terroristas, bandidos, portanto é nosso dever […] tomar todas as ações possíveis para proteger nosso estado

disse o presidente.

Tokayev também disse que os ataques foram feitos por terroristas treinados por estrangeiros.

O momento de caos no país atinge o preço do Bitcoin

A tensão afetou até mesmo o preço do Bitcoin uma vez que o Cazaquistão é o segundo maior minerador da criptomoeda – como consequência, além de prejudicar a mineração, o preço também caiu.

Os principais pools de mineração já haviam sentido o golpe no início da tarde desta quarta-feira (05), registrando uma forte queda no hashrate.

Os mercados reagiram negativamente à incerteza e o Bitcoin registram uma queda de 4%, segundo o índice do Coindesk. O ativo abriu o dia próximo aos US$ 46 mil e chegou a registrar US$ 44.900. No momento é cotado a US$43.602, ainda instável.

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA