sexta-feira, julho 1, 2022

Desmascarando falácias econômicas em episódio dos Simpsons

No final da temporada de domingo de Os Simpsons, o ex-secretário do Trabalho Robert Reich se uniu a Hugh Jackman para fazer um número musical sobre a economia. O número se concentrou na desigualdade e no desaparecimento da classe média, alegando que os “ricos gananciosos” são responsáveis pela queda dos salários e por padrões de vida mais baixos.

Alguns dias antes, o Reich havia tweetado uma prévia do ato.

Sou grato por poder compartilhar esta espreitadela em

@TheSimpsons

final da temporada, onde

@RealHughJackman

e eu me uni para combater a desigualdade e o desaparecimento da classe média.

Aqui está uma olhada de perto na seção. Não deixe de sintonizar no domingo às 20h00 ET/7h00 CT/8h00 PT para ver o resto!

tradução do tweet de Robert Reichs

Segue abaixo o clipe de Robert Reich e Hugh Jackman em Os Simpsons:

Muitos podem concordar com o Reich, mas a verdade é que este clipe está repleto de falácias econômicas. Vamos passar por cada uma delas.

Falácia 1: Grandes lucros são o resultado da ganância

O clipe abre com esta linha do Reich:

“O declínio dos sindicatos, a ganância das corporações desenfreadas, a inadimplência de Wall Street e o aumento da política de curto prazo contribuíram para o aumento da desigualdade econômica, o desemprego real generalizado, a estagnação salarial e um padrão de vida mais baixo para milhões de americanos”.

Quando o Reich fala de “ganância corporativa desenfreada”, aparece um gráfico mostrando o aumento dos lucros corporativos. A implicação parece ser que a ganância excessiva é a causa de altos lucros.

A lógica é tipicamente esta: empregadores gananciosos pagam menos a seus empregados e cobram mais de seus clientes para aumentar seus lucros. O problema com este raciocínio é que ele pressupõe que os gerentes têm muito mais poder para estabelecer salários e preços do que eles realmente têm.

A realidade é que os proprietários de empresas estão sujeitos à disciplina do mercado. Se eles tentarem pagar a seus funcionários menos do que a taxa de trabalho, os funcionários simplesmente irão trabalhar para outra pessoa. Se eles tentarem cobrar de seus clientes mais do que a tarifa do produto, os clientes irão comprar de outra pessoa.

Portanto, um empresário pode querer enganar seus funcionários e clientes para aumentar seus lucros, mas a realidade é que eles não podem, pelo menos não por muito tempo.

Então, se os empresários não podem ser bem sucedidos sendo particularmente gananciosos, o que separa os empresários bem sucedidos dos mal sucedidos? Na realidade, é uma combinação de sorte, boa previsão das condições de mercado, boa capacidade de gestão e, francamente, a medida em que você pode convencer o governo a manipular o mercado a seu favor (o que acontece com mais freqüência do que a maioria das pessoas imagina).

Falácia 2: os americanos estão experimentando uma estagnação salarial e um padrão de vida mais baixo

Na segunda parte de sua refutação inicial, Reich afirma que há “uma estagnação salarial e um padrão de vida mais baixo para milhões de americanos”. Isto é, na melhor das hipóteses, enganoso. Se estamos falando de salários nominais (o número no salário), eles subiram claramente. Mas mesmo se você olhar para os salários reais (o que você pode comprar por seu salário), é difícil dizer que eles estagnaram. Como explica Marian L. Tupy para o Human Progress, embora o salário médio por hora não tenha mudado muito quando ajustado à inflação, ele não leva em conta outros fatores importantes, tais como benefícios não salariais (que aumentaram significativamente) e melhorias na qualidade dos bens.

Alegação de que os padrões de vida estão caindo também é problemática. pense em uma típica casa americana nos anos 70, em comparação com a atual. pense na mudança no acesso a aparelhos, telefones, computadores, tvs, câmeras fotográficas e similares. a intuição deixa claro – e os dados confirmam isso – que os padrões de vida estão realmente aumentando em todos os níveis.

Se você ainda não está convencido, basta se perguntar se prefere viver nos anos 70 – um tempo antes da internet, smartphones e serviços de streaming – ou hoje?

Falacia 3: A economia é uma torta fixa

A ação musical continua com a seguinte linha. “Eles cortaram os salários para aumentar os preços das ações, cortaram a torta e mantiveram todas as fatias“.

A segunda parte desta frase é uma referência à idéia de que só há muita riqueza para todos, e que os trabalhadores recebem apenas uma pequena parte dessa riqueza, enquanto a maior parte vai para os ricos e poderosos. O problema aqui é que o Reich assume que a riqueza é uma torta fixa, o que significa que os ricos ficam mais ricos “guardando porções” para si mesmos em vez de distribuí-las a outros.

Na realidade, a torta não é fixa. Pode ficar maior. Em um modelo de torta fixa, a única maneira de melhorar é às custas dos outros. Uma pessoa deve perder para que outra ganhe. Mas na economia real, a maior parte do que acontece são transações ganha-ganha. Quando uma empresa troca um produto com um consumidor, ambas as partes estão em melhor situação. A torta fica maior. Ninguém está “pegando fatias” de outros. Claro, algumas pessoas podem ser mais produtivas e acabam com mais dinheiro, mas em um mercado livre, você ganha dinheiro beneficiando outros, não tirando deles.

Falácia 4: A economia do gotejamento tem sido desmascarada

A próxima linha da lei é a seguinte: “Os cortes fiscais foram para os CEOs, e eles nunca chegaram ao cidadão comum”.

Esta é uma crítica clara à economia do gotejamento, que é basicamente a idéia de que à medida que os ricos ficam mais ricos, seu dinheiro extra vai se escoando para a classe mais baixa, deixando os pobres em melhor situação.

A esquerda ama usar esta expressão nos debates. No momento em que alguém sugere cortar os impostos das empresas ou facilitar a vida dos ricos, eles imediatamente se riem e dizem: “na verdade, a economia de gotejamento foi desmascarada”.

O problema com esta linha é bastante simples: a economia de gotejamento não é nem mesmo uma coisa. Nenhum economista sério afirma que o dinheiro dos ricos de alguma forma se derramaria sobre as classes mais baixas se eles tivessem mais.

Em resumo, a verdadeira razão pela qual os economistas defendem que os ricos devem ter calma é porque, ao contrário do governo, os ricos tendem a investir em empresas que fazem crescer a economia, levando a uma maior abundância e a um padrão de vida mais elevado para todos. Mas isso não é economia de gota-a-gota. É apenas economia. E você tem muito trabalho pela frente se quiser desmascarar isso.

O que eles esqueceram de mencionar

Embora as falácias apresentadas no clipe dos Simpsons sejam suficientemente sérias, o que realmente torna o clipe impreciso é o que eles não disseram. Eles deixaram completamente de fora o efeito prejudicial que as regulamentações governamentais têm sobre a economia. Não houve menção a barreiras comerciais, compadrio, ou qualquer outra coisa que o governo faça que dificulte a vida dos pobres.

Apesar de nosso padrão de vida crescente, ainda existem problemas reais na economia. Mas não seremos capazes de resolvê-las até que deixemos de usar falácias econômicas e dediquemos algum tempo para aprender o que realmente as está causando.

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

SourceFee.org

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

CONFIRA