Governo indiano destrói bairros pobres em Nova Délhi

O governo da Índia nos últimos meses vem derrubando bairros pobres inteiros na cidade de Nova Délhi. As escavadeiras chegam pouco antes do amanhecer, demolindo as fileiras de barracos à vista de seus moradores inconsoláveis.

As habitações são construídas ao longo dos anos e os bairros surgem como uma colcha de retalhos. A maioria trabalha nas proximidades e vive na região há décadas em suas pequenas casas. Aos moradores, agora sem-teto e com seus pertences destruídos pelas máquinas, resta procurar uma forma de recomeço. Ajuda é prometida, mas as reclamações de abandono se multiplicam. Os que podem, seguem para a casa de parentes. Outros são forçados a dormir em barracas improvisadas. O governo justifica a série de demolições dizendo que as estruturas foram construídas de forma ilegal e afirma que pretende realojar algumas das comunidades afetadas.

Após as mais recentes demolições, os guardas de segurança patrulham a área enquanto os trabalhadores constroem um muro para fechar os terrenos, impedindo novas ocupações. Mera coincidência é a reunião dos representantes do G20 ser sediada na cidade neste final de semana, com a mais recente demolição sendo localizada bem em frente ao centro de eventos. Em resposta, o governo indiano nega qualquer ligação entre as demolições e a cúpula do G20. No entanto, mesmo que não seja o único motivo, o país tem histórico. Em 2010, também na cidade, moradores de rua foram removidos e favelas foram destruídas na preparação para os Jogos da Commonwealth. As vidas dos mais pobres são menos importantes que mostrar para o mundo uma cidade mais bela. O que é incômodo deve ser jogado para debaixo do tapete.

Essas práticas não são exclusividade da Índia. No Brasil, por exemplo, ocorreram demolições em massa para “limpar” cidades como o Rio de Janeiro. Seja por motivo de embelezamento urbano ou em nome da “saúde pública”.

Gabriel Camargo

Autor e tradutor austrolibertário. Escreve para a Gazeta com foco em notícias internacionais. Suas obras podem ser encontradas em https://uiclap.bio/GabrieldCamargo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escravidão Africana
Ética

Entendendo a história da escravidão africana: os europeus não foram os únicos traficantes de escravos

No vasto panteão da história, os negros foram ao mesmo tempo vítimas e opressores. No entanto, a história tem sido tão politizada que ouvimos infinitamente sobre a primeira e quase nunca sobre a segunda. A retórica eclipsou os fatos. É fato, por exemplo, que os africanos participavam do tráfico transatlântico de escravos. A narrativa agora […]

Leia Mais
Renato Moicano
Ética

Renato Moicano: “Se você se preocupa com seu… país, leia Ludwig von Mises”

Na noite do último sábado, o lutador brasileiro Renato Moicano viralizou após sua vitória sobre JalinTurner no UFC 300, fazendo uma saudação ao próprio Ludwig von Mises. “Eu amo os Estados Unidos, amo a Constituição… quero portar… armas. Amo a propriedade privada. Vamos lhe dizer uma coisa. Se você se preocupa com seu país, leia […]

Leia Mais
Elon Musk e Alexandre de Moraes
Ética

Elon Musk ataca censura de Alexandre de Moraes e deixa esquerda em polvorosa

Na última sexta-feira, o CEO da rede social X, Elon Musk, respondeu a uma publicação de Alexandre de Moraes questionando o porque dele estar impondo tanta censura no Brasil. Na publicação em questão, Moraes parabenizava o ex-ministro do STF, Ricardo Lewandowski pelo novo cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública. Confira abaixo: Elon Musk […]

Leia Mais