Justiça dá 5 dias para governo Lula explicar intenção de compra em novo “Aerolula”

Novo Aerolula

O juiz Marllon Sousa, da 7ª Vara Federal do Distrito Federal, deu um prazo de 5 dias para que o governo Lula explicasse o interesse na compra de um novo avião para o deslocamento do presidente Lula (PT). A ação foi realizada atendendo ao pedido de deputados federais da oposição. O possível novo avião é chamado pela oposição de “Novo Aerolula”, em referência ao atual avião usado pelo presidente, batizado pelo público de “Aerolula”.

O pedido feito à Justiça foi assinado pelos deputados Nikolas Ferreira (PL-MG), Cabo Gilberto Silva (PL-PB), André Fernandes (PL-CE), Maurício Marcon (Podemos-RS), Luciano Zucco (Republicanos-RS), Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP), Evair Vieira (PP-ES), Carlos Jordy (PL-RH) e Marcel Van Hattem (Novo-RS). No texto do pedido, os deputados assinalaram “gravíssimo dano ao erário público, desvio de finalidade e afronta ao princípio da moralidade”.

Os congressistas também afirmam que a compra “apresenta-se absolutamente incompatível com o cenário de déficit nas contas públicas”. Eles também informam que o Ministério da Defesa entregou um estudo feito pela FAB (Força Aérea Brasileira) para atender ao pedido do presidente. “A opção mais barata pode custar de US$ 70 milhões a US$ 80 milhões, o equivalente a quase R$ 400 milhões”, afirmam.

O governo ainda não abriu oficialmente um processo de compra, mas segundo a coluna de Rodrigo Rangel, no Metrópoles, há planos nos bastidores para a aquisição de uma aeronave luxuosa pela Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo a apuração de Rangel, Lula pediu a compra de um modelo que tivesse mais espaço interno, com uma suíte confortável para ele e para a primeira-dama, Janja, além de sala de reuniões e escritório de trabalho.

O atual Aerolula

Mesmo o atual avião do presidente, batizado pela oposição de Aerolula, já havia gerado polêmicas desde sua aquisição. O avião presidencial havia sido adquirido em 2005, no primeiro mandato presidencial de Lula. O atual Aerolula é um avião do modelo Airbus ACJ-319, uma versão executiva do jato A319 da fabricante francesa de aviões Airbus.

Quando o Aerolula foi adquirido, era o único jato do tipo em operação no Brasil. A aeronave foi usada também pelos presidentes Dilma Roussef (PT), Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL), além do próprio Lula em seu terceiro mandato, iniciado em 2023. O avião da FAB custou cerca de US$ 56,7 milhões (R$ 167 milhões no câmbio da época) aos cofres públicos.

O avião foi inaugurado com um quarto de casal, banheiro com chuveiro, uma sala para o presidente, além de 55 lugares. Em valores de hoje, com correção monetária pelo índice IPC-A, o avião teria custado R$ 450 milhões aos cofres públicos. Para tentar evitar as críticas que sofria na época pelo gasto exorbitante com o avião, Lula usou até mesmo o pânico da época com o terrorismo como justificativa.

Ostentação de Lula já custou mais de R$ 8 milhões

O novo Aerolula, caso seja adquirido, será apenas mais um gasto exorbitante a mais na lista do presidente Lula. Segundo apuração, Lula em seu terceiro mandato já gastou mais que os presidentes Dilma, Temer e Bolsonaro gastaram em suas respectivas gestões. Até agora, o presidente Lula tem gastado cerca de R$ 8 milhões com o cartão corporativo e tal pujança tem atraído cada vez mais críticas ao presidente e sua primeira Dama Janja, a fazendo receber o apelido nada carinhoso de “Esbanja”.

E as críticas não são col razão, já que o governo Lula vem aumentando impostos que irão pesar cada vez mais sobre os empreendedores e trabalhadores brasileiros. E o pior, até aqueles que acreditam na legitimidade e eficiência do estado não estão vendo nenhuma melhoria dos serviços públicos em contrapartida. Enquanto isso, Lula e “Esbanja” seguem ostentando em cima daqueles que realmente produzem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escola cívico-militar
Política

Sobre a polêmica em torno do projeto das escolas cívico-militares

Foi aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) nesta terça-feira (21), o projeto de lei que viabiliza a implementação de escolas cívico-militares nas redes municipais e estaduais de educação do estado de São Paulo. Para muitos preocupados com a doutrinação esquerdista sobre as crianças nas escolas, o projeto é visto como uma saída. No […]

Leia Mais
Emchentes no Rio Grande do Sul
Política

Municípios atingidos pelas inundações no RS enfrentam burocracia para receber ajuda do governo federal

Em um artigo da CNN, diversas entidades municipais informaram que estão enfrentando uma enorme burocracia para receber verbas do governo federal para lidar com os impactos das inundações no Rio Grande do Sul. A informação contrasta com a acusação por parte da grande mídia e agentes públicos, de que a afirmação de tal burocracia na […]

Leia Mais
Dique de Mauá
Política

Bombeiros usam sacos de areia de improviso para impedir inundação no RS

Em um vídeo que está circulando na internet, uma equipe de bombeiros usa sacos de areia como improviso para impedir que um determinado lugar no Rio Grande do Sul fosse inundado. Um perfil popular no X chamado Peregrino publicou o vídeo e fez uma comparação com diques construídos por holandeses há mais de 100 anos. […]

Leia Mais