O fiasco do controle de preços emergencial proposto por Nikolas Ferreira

Nikolas Ferreira defende controle de preços em casos de desastres

Nesta quarta-feira, o deputado Nikolas Ferreira protocolou um projeto de lei que criminaliza o aumento “injustificado” dos preços de bens em casos de emergência. O deputado afirma que a motivação para esta medida seria um aumento “abusivo” dos preços de itens essenciais durante os desabamentos em São Sebastião (SP).

O deputado afirma inclusive que tal medida não terá risco de tornar uma lei generalizada de aumento de preços, já que se aplicaria apenas em situações de emergência:

As consequências ignoradas por Nikolas Ferreira

Por mais que Nikolas Ferreira esteja repleto das melhores intenções (assumindo aqui que ele realmente esteja), tal medida defendida por ele será um verdadeiro tiro pela culatra .

A importância dos preços

Como se sabe, os preços são determinados pela oferta e demanda dos bens. Além disso, ele é um importante sinal do mercado, por que ele sinaliza aos produtores o que está sendo mais demandado pelos consumidores em determinado momento.

Quanto mais alto for o preço de um bem, mais fácil será para o produtor identificar sua escassez e alta demanda. Isso leva os produtores a produzirem mais daquele bem, o que aumentará a sua oferta no mercado. Consequentemente, o preço é reduzido, já que cada vez menos pessoas irão demandá-lo dado a maior facilidade em consegui-lo.

Essa é a tendência natural dos preços no mercado.

Mas o quê acontece se o estado interfere nisso?

Como já dito acima, o aumento dos preços de um bem sinaliza que por um lado há escassez deste bem, é por outro, que há uma grande demanda por ele.

As consequências do controle de preços

Se o estado impede que os produtores deste bem aumentem o seu preço, eles não terão como saber o quanto este bem é demandado. E não adianta apenas saber que muitas pessoas demandam ele.

Dada a escassez de recursos, a produção de um bem sempre implica na retirada de recursos para a produção de um outro bem menos demandado. A abstenção da compra de um bem permite que com a diminuição da sua produção, os recursos que seriam usados na sua produção possam ser usados na produção do bem mais demandado.

Mas se o estado impede que os produtores aumentem os preços dos bens, eles não terão como saber o quanto esses bens são demandados para que possam produzir mais deles. Isso impede até mesmo que novos concorrentes entrem no mercado para produzir mais deste mesmo produto e suprir sua demanda.

Consequentemente, tal medida irá manter a escassez do produto em questão.

Por mais que no início os primeiros a conseguirem comprar o produto pelo preço artificialmente mais baixo sejam momentaneamente beneficiados, os demais sofrerão com uma maior escassez deste bem. Inclusive os primeiros beneficiados pela medida.

Um importante apontamento sobre isso foi feito por Victor Ventura em resposta ao tweet do deputado:

A incoerência de Nikolas Ferreira

Como mostrado, a medida proposta por Nikolas Ferreira irá gerar um malefício para a população que ele diz proteger. Na verdade, se o Nikolas Ferreira realmente estivesse preocupado com estas pessoas, ele deveria retirar do próprio bolso a ajuda para elas.

Nada seria mais justo do que devolver a essas pessoas o dinheiro que recebeu delas via imposto. Afinal, como sempre afirmado aqui: IMPOSTO É ROUBO!

Inclusive um usuário chamado @caiozuker fez uma importante observação sobre isso em sua resposta ao tweet do Nikolas Ferreira:

A verdadeira solução

Como bem apontado por @caiozuker, a melhor solução neste momento seria enviar mantimentos para as pessoas prejudicadas pelos desabamentos. E isso se aplica mais ainda àqueles que defendem medidas populistas ao invés de se comprometerem diretamente com a solução.

Além do mais, com os interessados ajudando diretamente, evitaria-se desvios e a deterioração dos bens doados devido à incapacidade da máquina estatal em geri-los. Sem falar que impediria que políticos oportunistas fizessem palanque em cima da tragédia alheia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Praça de Maio
Economia

Mises na Argentina: lições do passado para hoje

Ludwig von Mises visitou a Argentina em junho de 1959 a convite do Dr. Alberto Benegas Lynch. As palestras que Mises proferiu na Universidade de Buenos Aires foram reproduzidas no livro ‘Economic Policy: Thoughts for Today and Tomorrow‘ (Política Econômica: Pensamentos para Hoje e Amanhã, lançado no Brasil como ‘As Seis Lições‘). Como o título […]

Leia Mais
Caridade
Economia

Entendendo o Verdadeiro Significado da Caridade

Na edição de janeiro-fevereiro da revista The Misesian, o economista Jörg Guido Hülsmann fala sobre os insights que o levaram a escrever seu livro ‘Understanding the True Meaning of Charity’ (‘Entendendo O Verdadeiro Significado da Caridade’, ainda sem tradução no Brasil). Confira abaixo a entrevista. The Misesian (TM): A economia das doações e da caridade […]

Leia Mais
Economia

A conta chegou: alta de inflação e dos juros e queda do PIB

Analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central (BC) mostraram um maior pessimismo em relação a economia do país, voltando a revisar para cima as projeções de juros e inflação para este ano. As informações foram divulgadas no Boletim Focus desta segunda-feira, 20. As previsões pessimistas são reflexo das políticas keynesianas nas quais o governo […]

Leia Mais