O que está acontecendo na Bielorrúsia? – Um breve resumo

Protesto Bielorrússia

Escrito por: Lidia Araujo (@fifthokage)
Revisado por: Paulo Costa (@PauloDroopy)


Em meio a um cenário de ameaça às liberdades individuais, os cidadãos da Bielorrússia mantêm-se firmes nas manifestações contra o autoritarismo de Alexander Lukashenko, considerado o “último ditador da Europa”.

No dia 20 de Agosto de 2020, o governo reprimiu duramente a “Marcha pela Liberdade”, movimento que vem lutando, dentre outros aspectos, pela transparência política. Isso inclui perseguições, ameaças, torturas, prisões, exílios e assassinatos a aqueles que vêm se opondo ao regime ditatorial.

Os protestos vêm acontecendo devido à suspeita de fraude eleitoral e impedimento da candidatura de políticos da oposição. Até mesmo observadores internacionais não reconheceram a legitimidade das eleições, como a União Europeia (UE), que propôs uma mediação internacional oferecida pela OSCE (Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa).

Em 1979, Lukashenko iniciou sua carreira política ao ingressar no Partido Comunista da URSS. Atualmente, ele permanece há quase três décadas no poder. Com a justificativa de “evitar interferências de governos internacionais”, negou-se a convocar uma nova eleição.

Em relação à situação jurídica e econômica do ex-país soviético, os poderes instituídos constitucionalmente dão ao presidente o controle do governo e dos tribunais, e os decretos presidenciais têm mais força do que a legislação comum. Além disso, a corrupção vem sendo acentuada com o domínio estatal de 70{6f48c0d7d5f1babd031e994b4ce143dfcbd9a3bc2a21b0a64df4e7af5a5150a1} da economia.

A fim de pressionar a saída de Lukashenko da presidência, os representantes da UE se reuniram na Quarta-feira (19) para discutir o apaziguamento da crise política com a Bielorrússia. Inclusive, a Comissão Europeia doará 30 milhões de euros para ajudar a sociedade civil, as organizações sociais e a pandemia de Covid-19.

Mesmo com tais propostas, o governo bielorrusso estabeleceu suas tropas nas fronteiras com a Polônia e a Lituânia, países pertencentes ao bloco, simbolizando que a paz não se estabelecerá tão cedo. Ao negar a mediação da OSCE, procurou a ajuda da Rússia, que se alinha implicitamente ao evitar demonstrações públicas de apoio.

Ludwig von Mises dizia que “ser livre é, sempre, livrar-se do governo; é restringir sua interferência. A liberdade só prevalece nas áreas em que os cidadãos tenham oportunidade de escolher a maneira como devem proceder”. E, nesse caso, os indivíduos não têm sequer a liberdade de escolher seus representantes políticos. Não é segredo para ninguém que os mais prejudicados nessa história são os próprios cidadãos do país.

Veja também:

Siga o Franak Viačorka no Twitter para ficar por dentro das últimas novidades da Bielorrússia.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Haddad afirma que memes que estão criando sobre ele são baseados em “desinformação”

Os memes feitos em crítica ao aumento de impostos atribuído ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), estão tomando conta da internet no Brasil. O ministro, porém, afirma que tais memes em crítica a ele são baseados em “desinformação“. Os memes Após a criação de novos impostos, o ministro Haddad se tornou alvo de diversos […]

Leia Mais
Política

Aumenta a pressão sobre Biden para que ele repense sua candidatura

Na quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, viu crescer a pressão para que reconsiderasse sua candidatura à reeleição, que é questionada tanto por membros de seu partido quanto por apoiadores importantes, como o ator George Clooney. Em meio à cúpula da OTAN, que de terça a quinta-feira reúne em Washington os chefes de […]

Leia Mais
Política

O Fórum Econômico Mundial ainda está conspirando contra sua liberdade

Em janeiro passado, a elite da humanidade se reuniu novamente em Davos, na Suíça, para planejar o resto de nossas vidas. Os líderes do Fórum Econômico Mundial (FEM) são moralmente superiores porque se dedicam a destruir sua liberdade de salvar a Terra ou, pelo menos, proteger o habitat das plantas. Sessenta chefes de governo de […]

Leia Mais