terça-feira, setembro 27, 2022

Os estragos econômicos e sociais deixados pelos lockdowns

Pode levar anos até que nos demos conta das ramificações das políticas de lockdowns que governos de todo o mundo impuseram a seus cidadãos em resposta à covid-19, mas a evidência dos custos está começando a entrar em cena.

Um estudo recente realizado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) pesquisou milhares de estudantes do ensino médio sobre os efeitos da pandemia. “Desde o início da pandemia“, relata o estudo, “mais da metade dos estudantes teve mais dificuldade para completar seus trabalhos escolares (66%) e sofreu abuso emocional por parte de um pai ou outro adulto em sua casa (55%)“, o que se correlacionou fortemente com os estudantes que “experimentaram insegurança através da perda do emprego dos pais (29%), perda do emprego pessoal (22%) e fome (24%)“.

Um estudo relacionado ao CDC, divulgado no mesmo dia, examinou os efeitos da pandemia sobre a saúde mental dos estudantes do ensino médio. Ele descobriu que “durante os 12 meses anteriores à pesquisa, 44,2% experimentaram sentimentos persistentes de tristeza ou desesperança, 19,9% haviam considerado seriamente a tentativa de suicídio, e 9,0% haviam tentado o suicídio“.

Estas descobertas não devem ser nenhuma surpresa. Apenas alguns meses após a pandemia, o relatório de morbidade e mortalidade do CDC pesquisou pessoas de todas as idades com relação ao abuso de substâncias e pensamentos suicidas, e os jovens mostraram o aumento mais dramático em comparação com as pesquisas pré-covid. Este relatório foi praticamente ignorado, é claro, pois os demagogos na política e na mídia previram o Armagedom se o mundo não abraçasse suas políticas draconianas de isolamento.

Agora que os Chicken Littles voltaram para casa para empoleirar-se, a verdadeira questão é se os resultados destes estudos são a conseqüência da pandemia ou a resposta a ela. Um representante do CDC, falando dos estudos, deu uma resposta reveladora a esta pergunta: “Isto nos dá realmente a evidência para dizer com certeza que a pandemia foi incrivelmente perturbadora para os jovens e suas famílias” (ênfase acrescentada). A “pandemia teve um custo“, de acordo com todas as manchetes dos meios de comunicação que relatam os estudos.

Para alguns, a distinção entre a pandemia e os lockdowns pode parecer como a divisão dos cabelos, mas a escolha das palavras pode ter consequências importantes nas políticas presentes e futuras. A lógica por trás dos mandatos de distanciamento social tem sido que tais políticas são necessárias para diminuir a gravidade da pandemia. Mesmo diante da esmagadora evidência de que os bloqueios se mostraram ineficazes, os fiéis sempre encontrarão maneiras de dispensar os opositores e exortar a mandatos ainda mais severos (o problema é que não isolamos o suficiente!).

Se, como afirmam a mídia e os pesquisadores, é a pandemia que está afetando os jovens, então parece justificar respostas ainda mais autoritárias ao vírus. Lockdowns mais severos! Isole-se ainda mais! Punir mais severamente os infratores! Os defensores dos lockdowns, como a Sra. Lovejoy, precisam apenas gritar “pense nas crianças” e nos efeitos que a pandemia está tendo sobre elas para impulsionar o apoio às próprias políticas que, na realidade, são responsáveis pelos problemas que pretendem resolver.

É por isso que é tão crucial ligar corretamente causa e conseqüência. Não é, e nunca foi, a pandemia que tem criado inseguranças financeiras para as famílias e destruído a vida social de nossa juventude. Não é a pandemia que está aumentando as taxas de depressão, abuso de drogas e pensamentos suicidas entre adolescentes (e adultos, mesmo que não tão severamente). Estes são os custos das respostas políticas à pandemia que, em nome da nossa segurança, disseram aos jovens vulneráveis que eles não podem ver seus amigos, mostrar seus rostos ou se envolver em qualquer uma das atividades sociais que os ajudam a se desenvolverem em adultos mentalmente saudáveis.

É hora de a mídia começar a relatar que são os lockdowns, o isolacionismo e os mandatos de distanciamento social – e não a pandemia – que têm causado tanto impacto nos adolescentes.

Artigo escrito por Chris Calton, publicado no Mises.org e traduzido e adaptado por Gazeta Libertária

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

SourceMises.org
spot_img

CONFIRA