Pânico de 1819: A Primeira Grande Crise Econômica dos EUA

Murray Rothbard Pânico de 1819

Em 1819, se iniciava a primeira grande crise econômica dos EUA. A primeira de muitas das grandes crises que vem abalando a maior economia do mundo. No entanto, essa crise teve algumas características que a diferenciam da maioria das crises subsequentes, como a não intervenção do estado para sua resolução, alem de sua curta duração: 2 anos.

E foi o grande economista Murray Rothbard quem fez a melhor exposição histórica deste evento em seu trabalho acadêmico que leva o mesmo nome da crise: Pânico de 1819. E a Editora Konkin, responsável por traduzir várias obras importantes da Escola Austríaca negligenciadas no Brasil, também traduziu este importante livro.

A crise

Em O Pânico de 1819, Rothbard faz uma exposição de como se desenvolveu a crise econômica, a partir do boom econômico durante e após as guerras franco-prussianas, quando os EUA passou a ser fornecedor de produtos agrícolas para uma Europa em grande envolvida na guerra. Durante este boom, houve um aumento no número de bancos, e principalmente de empréstimos bancários.

E já que estava havendo um boom do comércio agrícola, houve um aumento na compra de terras, tanto para produção agrícola quanto para especulação. E enquanto o boom seguia, mais pessoas se endividavam para comprar terras, na esperança de que seus retornos cobririam suas dívidas e ainda lhes restaria algum lucro.

No entanto, na medida em que produtores agrícolas e compradores de carros foram se vendo cada vez mais sem acesso ao até então crédito fácil, maioria deles viram seus negócios quebrarem e os bancos tomarem suas terras que estavam hipotecadas. Como consequência, isso gerou uma recessão econômica levando a falência vários negócios que surgiram durante este boom.

Soluções propostas

Como Rothbard bem expõe no livro, várias medidas para aliviar a crise foram propostas. Dentre elas, a emissão de mais notas para reanimar o boom por meio da retomada de empréstimos. Também foram defendidos maiores impostos sobre as importações, já que as exportações haviam sido fortemente afetadas e as empresas locais estavam em desvantagem em relação às empresas estrangeiras.

Alguns chegaram até mesmo a propor a restrição de crédito e da emissão de novas notas, alem de restringir a criação de novos bancos, já que o público vinha cada vez mais culpando o setor bancário pela crise.

O fim do Pânico de 1819

No fim, nenhuma medida foi tomada e o Pânico de 1819 se resolveu sozinho após uma recessão que durou apenas 2 anos. Ele não foi apenas a primeira crise generalizada na economia americana. Foi tambem a primeira a se resolver sozinha. Após ela, a última crise a passar por tam situação seria a crise de 1920, que durou apenas 1 ano.

Apesar da causa da crise não ser exposta por Murray Rothbard, hoje é facilmente compreendida como consequência da expansão da oferta monetária que causou um boom artificial na economia que não poderia durar eternamente. E sabemos disso graças aos brilhantes insights dos economistas austríacos, incluindo o próprio Murray Rothbard, em obra como O Que O Governo Fez Com Nosso Dinheiro e A Grande Depressão Americana

Repercussão do livro

O livro de Rothbard sobre o Pânico de 1819 foi muito bem recebido pela crítica, o tornando uma das maiores referências (senão a maior) sobre o tema. O livro foi resultado de seu trabalho de dissertação de doutorado sobre tal crise e foi o primeiro trabalho em forma de livro sobre o tema. Tambem é o trabalho mais extenso e pormenorizado sobre o assunto.

O próprio Rothbard admite que o fato dele ter se atentado a apenas expor os acontecimentos, ao invés de explicar suas causas, tornou este o seu livro mais aceito pelo público. Diferente dos seus outros livros, onde ele confrontou várias crenças econômicas equivicadas mantidas pelo mainstream econômico.

“Na verdade, muito melhor do que qualquer outro de meus livros. Talvez seja porque não analisei as causas. Eu apenas escrevi sobre como as pessoas queriam curá-lo.”

Citação de Rothbard em uma entrevista sobre o livro (Fonte)

De toda forma, o livro Pânico de 1819 é uma leitura indispensável para aqueles querem uma exposição detalhada da primeira grande crise econômica dos EUA, e que combinados com as obras onde Rothbard expõe as raízes dos ciclos econômicos, pode ajudar o leitor a compreender este evento e seus impactos na economia.

E para quem está interessado nesta excelente obra, a Editora Konkin está disponibilizando a sua tradução inédita para o português para o público ávido por literatura econômica de qualidade. Para saber como adquirir esta obra, basta clicar neste link aqui para obter maiores informações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MP da tarifa de luz
Economia

Segundo ex-diretor da Aneel, MP assinada por Lula para baixar a conta de energia terá efeito contrário

Segundo Edvaldo Santana, ex-diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica, a medida provisória para baixar o valor da conta de luz, assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na terça-feira (9), tem dispositivos que levarão ao efeito contrário. Segundo Edvaldo Santana e outros especialistas, haverá um aumento da tarifa para os consumidores. A MP […]

Leia Mais
Liga Hanseática
Economia

A Liga Hanseática: Um “Império” do Comércio

Era uma vez um fenômeno medieval do norte, tão sujeito a mitos universais e curiosidade quanto o das encantadoras cidades-república florescentes do sul: a Liga Hanseática dos séculos XIII ao XVI. “O Hansa” (alemão antigo para “associações”) ou “A Liga”, como era conhecido, começou como um tratado entre Lübeck e Hamburgo “para limpar a estrada […]

Leia Mais
Escola Austríaca de Economia
Economia

3 Livros da Escola Austríaca de Economia que você não pode deixar de ler

Ainda há pouco ocorreu a comemoração de 75 anos da versão em inglês da obra prima, Ação Humana, de Ludwig von Mises, bem como os 50 anos de reavivamento da Escola Austríaca de economia. No ressurgimento da Escola Austríaca são notáveis as contribuições à teoria de processo de mercado lideradas por Hayek (tratando do problema […]

Leia Mais