Pequim anuncia manobras militares perto das ilhas de Taiwan

China x Tawian

“Nunca houve algo como águas ‘restritas’ ou ‘fora dos limites’ nas zonas de pesca tradicionais do Estreito (de Formosa)”, disse Zhu Fenglian, porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado (o executivo chinês), segundo a agência de notícias oficial Xinhua.

A porta-voz disse que o incidente “provocou indignação generalizada” na China e alertou que Pequim “não tolerará a negligência das autoridades taiwanesas em relação às vidas e aos bens dos pescadores da China continental”.

Nesse sentido, Zhu pediu a libertação dos detidos e de seu barco “o mais rápido possível” e acrescentou que as autoridades chinesas “se reservam o direito de tomar outras medidas, cujas consequências serão suportadas pelo lado taiwanês”.

Na última quarta-feira, a Guarda Costeira de Taiwan detectou quatro pessoas a bordo de uma lancha a cerca de 2 quilômetros a leste da Ilha Beiding, uma das menores ilhas do arquipélago de Kinmen, localizada a apenas 10 quilômetros da cidade chinesa de Xiamen, no sudeste do país, e a outros 187 quilômetros da ilha principal de Taiwan.

A equipe costeira taiwanesa solicitou “imediatamente” que a embarcação parasse para inspeção, mas a tripulação resistiu e fugiu a toda velocidade, fazendo com que o veículo capotasse, resultando na morte de dois deles, enquanto os dois sobreviventes foram levados à justiça.

A agência de notícias oficial de Taiwan, CNA, informou que a embarcação não estava em nome de nenhum proprietário e que também não tinha um número de registro.

China anuncia patrulhas na área

Após o incidente, Pequim acusou as autoridades taiwanesas de tratar os pescadores chineses de maneira “rude e perigosa”. A imprensa oficial taiwanesa afirma que se tratava de um barco de pesca, enquanto o lado taiwanês não deu nenhuma informação sobre a identidade da tripulação.

Em resposta, o Conselho de Assuntos Continentais de Taiwan – o órgão oficial responsável pelas relações com Pequim – esclareceu em uma declaração que as ações da Guarda Costeira estavam “de acordo com a lei”, ao mesmo tempo em que criticou o lado chinês por não conseguir impedir incursões ilegais de seus cidadãos em águas taiwanesas.

As Ilhas Kinmen, onde vivem cerca de 120.000 taiwaneses, têm sido objeto de várias disputas entre a China e Taiwan ao longo das décadas, principalmente o bombardeio maciço em 1958, quando os militares chineses abriram fogo contra o arquipélago como parte da segunda crise do Estreito de Taiwan.

Mais cedo no domingo, a Guarda Costeira chinesa anunciou “patrulhas” na área marítima de Xiamen e Kinmen para “proteger as vidas e os bens dos pescadores”, de acordo com uma declaração emitida por seu porta-voz e citada pela televisão estatal CGTN.

O porta-voz da guarda costeira chinesa garantiu que as autoridades marítimas da província de Fujian – na qual Xiamen está localizada e ao largo de cuja costa fica Kinmen – “fortalecerão a aplicação da lei marítima e realizarão patrulhas regulares na área marítima de Xiamen-Kinmen”.

Em resposta, o Conselho de Assuntos do Continente de Taiwan chamou os comentários chineses de “acusações infundadas” e insistiu que sua guarda costeira “expulsará ou deterá embarcações transfronteiriças” que entrarem em “águas restritas e proibidas de Taiwan”: “Esse foi o caso no passado e é o caso agora, e a lei continuará a ser aplicada no futuro. Isso não mudará.

Artigo publicado em The Freedom Post e traduzido por Rodrigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Aumenta a pressão sobre Biden para que ele repense sua candidatura

Na quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, viu crescer a pressão para que reconsiderasse sua candidatura à reeleição, que é questionada tanto por membros de seu partido quanto por apoiadores importantes, como o ator George Clooney. Em meio à cúpula da OTAN, que de terça a quinta-feira reúne em Washington os chefes de […]

Leia Mais
Política

O Fórum Econômico Mundial ainda está conspirando contra sua liberdade

Em janeiro passado, a elite da humanidade se reuniu novamente em Davos, na Suíça, para planejar o resto de nossas vidas. Os líderes do Fórum Econômico Mundial (FEM) são moralmente superiores porque se dedicam a destruir sua liberdade de salvar a Terra ou, pelo menos, proteger o habitat das plantas. Sessenta chefes de governo de […]

Leia Mais
Política

Dinamarca será o primeiro país a taxar arroto e pum de bovinos e suínos

O estado da Dinamarca será o primeiro do mundo a colocar imposto sobre o arroto e o pum de bovinos e suínos. A justificativa é a de que o pum e o arroto dos bovinos emitem o segundo gás com efeito estufa mais presente na atmosfera: o metano, que tem a sigla de CH₄. A […]

Leia Mais