sexta-feira, fevereiro 3, 2023

Protestos contra bloqueios por covid irrompem na China após incêndio mortal

Protestos eclodiram em Pequim e na região de Xinjiang, no extremo oeste, devido aos bloqueios do COVID-19 e um incêndio mortal na quinta-feira em um prédio alto em Urumqi que matou 10 pessoas (com alguns relatórios colocando o número em até 40).

Multidões foram às ruas em Urumqi, a capital de Xinjiang, com manifestantes gritando “Fim com o bloqueio!” enquanto erguiam os punhos no ar, após a circulação de vídeos do incêndio nas redes sociais chinesas na noite de sexta-feira.

Vídeos de protesto mostram pessoas em uma praça cantando o hino nacional da China – particularmente a frase: “Levante-se, aqueles que se recusam a ser escravos!” Outros gritaram que não queriam bloqueios. No distrito de Tiantongyuan, no norte de Pequim, os moradores derrubaram placas e foram às ruas.

“A Reuters verificou que a filmagem foi publicada em Urumqi, onde muitos de seus 4 milhões de residentes estão sob alguns dos bloqueios mais longos do país, impedidos de deixar suas casas por até 100 dias. longe, alguns residentes sob bloqueio realizaram protestos de pequena escala ou confrontaram suas autoridades locais sobre as restrições de movimento impostas a eles, com alguns pressionando-os com sucesso para suspendê-los antes do prazo”.

De acordo com uma entrevista coletiva no início do sábado por funcionários de Urumqi, as medidas do COVID não impediram a fuga e o resgate durante o incêndio, mas a mídia social chinesa não acreditou.

“O incêndio de Urumqi deixou todo mundo chateado”, disse Sean Li, morador de Pequim.

De acordo com a Reuters:

“Um bloqueio planejado para seu complexo “Berlin Aiyue” foi cancelado na sexta-feira depois que os moradores protestaram contra o líder local e o convenceram a cancelá-lo, negociações que foram capturadas por um vídeo postado nas mídias sociais. vendo trabalhadores colocando barreiras em seus portões. “Aquela tragédia poderia ter acontecido com qualquer um de nós”, disse ele. No sábado à noite, pelo menos dez outros complexos suspenderam o bloqueio antes da data final anunciada depois que os moradores reclamaram, de acordo com uma contagem da Reuters de postagens de moradores nas redes sociais”.

Artigo publicado em Zero Hedge e traduzido e adaptado por @rodrigo

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA