Quais são os custos que o estado impõe sobre empresas?

Todos sabem que o custo do estado para abrir uma empresa é elevado. Mas quanto será que realmente custa esta coerção? Quanto tempo e dinheiro é gasto para manter um negócio ativo na legalidade? E mais, quais são os retornos que o empresário recebe?

Para facilitar o entendimento, será apresentado duas cafeterias fictícias. Os valores presentes são especulativos, afinal, a tributação brasileira é extremamente caótica não levando em conta custos operacionais focando somente nos impostos.

Custos da Cafeteria Tudo Legal

A Cafeteria Tudo Legal possui uma gerência voltada para seguir rigorosamente a lei.

Abertura da empresa

Antes de abrir oficialmente, o empreendedor precisou desembolsar R$320,00 para uma licença do corpo dos bombeiros e R$1.000,00 para uma vistoria da vigilância sanitária. Enquanto decorria os noventa dias necessários para a aprovação da Anvisa, aplicou R$414,24 para DARE e DARF, R$550,00 para emissão de um certificado digital e R$200,00 para emitir documentos diversos em cartório.

Para ficar com tudo pronto gastou um total de R$2.484,24 e noventa dias de espera. Agora que possui um alvará, pode deixá-lo exposto na entrada e iniciar suas atividades.

Custos recorrentes com o estado

Na Tudo Legal a saca de café custa R$1.457,25 sendo somados R$174,87 de ICMS totalizando R$1.632,12. Com uma saca é possível fazer em torno de 95 xícaras ao dia por 3 meses. Se cada xícara possui um preço de custo arredondado de R$0,20, vendendo um xícara por R$2,00 seu lucro seria de R$1,80. Mas na prática o valor é outro pois deduzindo R$0,09 de ISS, R$0,27 de IRPJ, R$0,02 de Pis e R$0,12 de Cofins seu lucro se torna R$1,30.

Custos com funcionários

Com a demanda dos cafés aumentando, surge a necessidade de contratar um barista. Levando em conta um salário mínimo de R$1.100,00, será pago ao funcionário um montante total de R$ 2.050,00 somando salário e benefícios. O estado força a cafeteria a guardar R$91,67 para a ilusão do 13°, R$30,56 para as férias, R$97,78 para ficar bloqueado no FGTS que rende somente 4,5% ao ano e R$244,44 como base para a pirâmide do INSS.

Com um funcionário novo será necessário pagar R$522,05 anualmente para o Sindicato e 1% de PIS sobre a folha de pagamento. Com o empregado custando o mínimo de R$2.514,45 mensal, torna-se impossível vender 142 xícaras por dia para cobrir o novo gasto. A solução é aumentar o valor do produto final de R$2,00 para R$4,00.

Custos da Cafeteria Tudo Ético

A Cafeteria Tudo Ético é uma empresa que está focada no seu produto e em seus clientes, desprezando a existência do estado.

Todo o montante que seria usado para emitir uma autorização foi aplicado nos equipamentos da cafeteria agilizando sua abertura oficial. No lugar onde ficaria exposto o documento estatal, foi exibido uma grande placa de Bem-Vindo.

Sem emitir ou exigir nenhum documento fiscal, a empresa compra a saca de café de um produtor local sem ICMS por R$1.457,25. Sem o peso do estado no lucro, vende uma xícara de café há R$1,50 tendo R$1,30 de lucro por venda.

Surgindo a necessidade de um barista, a Cafeteria Tudo Ético entrevista um candidato que aceita o pagamento de R$2.514,45 sem registro. O funcionário aplica todo o salário livremente em bens de consumo e investimentos.

Efetivado a nova contratação, surgiu a necessidade de aumentar o valor do produto para R$2,60 mantendo a mesma quantidade de vendas.

O Conflito entra as cafeterias

Com o passar do tempo, os clientes da região preferem a cafeteria Tudo Ético pelo preço acessível e a qualidade semelhante ao da cafeteria Tudo Legal. Neste momento a empresa legalizada pode usufluir do único benefício que todo este investimento forneceu. Com uma simples ligação, um fiscal vai até a cafeteria irregular e, apesar do local atender as exigências legais na prática, fecha o estabelecimento por não ter um alvará e sonegar impostos.

Com o fim da concorrência, a cafeteria Tudo Legal pode continuar seu empreendimento vendendo café pelo custo de R$4,00.

Quem venceu?

Repare que graças e este mecanismo de poder será recolhido R$77,00 mensais em custos para o estado só com a venda do café, sem contar taxas anuais e renovações.

O próprio contribuínte ajudou o estado denunciando a concorrência assim como cidadões alemães denunciavam judeus para os nazistas.

Os colaboradores da cafeteria são forçados a pagar o INSS dos servidores públicos atualmente aposentados e o FGTS que é usado para compra de votos em ações de créditos imobiliários e habitações populares.

A população paga R$4,00 pela xícara de café sendo que seria possível pagar R$2,60 em um livre mercado.

Com o fim da cafeteria Tudo Ético é incentivado obedecer fielmente o estado e usar coerção contra a concorrência.

Com este balanço total, fica claro que quem ganhou entre as cafeterias foi o estado e quem perdeu foi o indivíduo.

Mister Sat

Sou um escritor libertário anônimo, aprendendo e ensinando em cada ação, procurando postar artigos que quebrem as correntes invisíveis que nos aprisionam, afinal, somente o conhecimento e a união pode lançar o homem para a verdadeira liberdade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escola cívico-militar
Política

Sobre a polêmica em torno do projeto das escolas cívico-militares

Foi aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) nesta terça-feira (21), o projeto de lei que viabiliza a implementação de escolas cívico-militares nas redes municipais e estaduais de educação do estado de São Paulo. Para muitos preocupados com a doutrinação esquerdista sobre as crianças nas escolas, o projeto é visto como uma saída. No […]

Leia Mais
Emchentes no Rio Grande do Sul
Política

Municípios atingidos pelas inundações no RS enfrentam burocracia para receber ajuda do governo federal

Em um artigo da CNN, diversas entidades municipais informaram que estão enfrentando uma enorme burocracia para receber verbas do governo federal para lidar com os impactos das inundações no Rio Grande do Sul. A informação contrasta com a acusação por parte da grande mídia e agentes públicos, de que a afirmação de tal burocracia na […]

Leia Mais
Dique de Mauá
Política

Bombeiros usam sacos de areia de improviso para impedir inundação no RS

Em um vídeo que está circulando na internet, uma equipe de bombeiros usa sacos de areia como improviso para impedir que um determinado lugar no Rio Grande do Sul fosse inundado. Um perfil popular no X chamado Peregrino publicou o vídeo e fez uma comparação com diques construídos por holandeses há mais de 100 anos. […]

Leia Mais