Zema aumenta ICMS sobre produtos considerados “supérfluos” com a justificativa de “ajudar” os mais pobres

Romeu Zema

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (foto; Novo), exaltado por muitos liberais no Brasil, sancionou a lei que retoma a cobrança adicional de 2% no ICMS de MG sobre produtos considerados “supérfluos”. É isso mesmo. O governador Zema decidindo o que é ou não supérfluo para os consumidores mineiros. E qual a justificativa? Usar esse imposto para financiar o combate à pobreza. Pobreza essa em grande parte causada pelo próprio estado.

Tributar os produtos “supérfluos” para ajudar os necessitadas

A medida de retomada do ICMS foi publicada pelo governador no Diário Oficial do Estado de MG no último sábado (30), entrará em vigor a partir de 2024 e valerá até 2026.

A medida é de autoria do próprio Zema e passou por mudanças na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. As mudanças promovidas pelos deputados, consistiam na retirarada do rol de supérfluos itens como perfumes, águas-de-colônia, sabonetes, produtos de higiene bucal e rações para animais domésticos.

O Zema alega que o imposto é direcionar recursos ao FEM (Fundo de Erradicação da Miséria). E não é difícil imaginar o tanto de superfaturamento e desvio de verba que irá rolar com essa medida.

O que Zema realmente deveria fazer para ajudar os mais pobres

A grande verdade é que Zema quer apenas aumentar seu capital político posando de bom samaritano enquanto tributa os bens “supérfluos” para direcionar tal dinheiro aos mais necessitados. Fora o tanto de superfaturamento junto à empresas envolvidas e desvio de verbas que com toda certeza ocorrerão. Afinal, dos políticos só podemos esperar o pior.

Se Zema realmente quisesse ajudar os mais pobres (coisa que ele assim como qualquer político realmente não quer), ele isentaria TODOS os produtos de impostos, principalmente aqueles que compõem a cesta básica. Além disso, isentaria as importações de qualquer produto, o que permitiria uma maior competição do mercado a ponto de baixar os preços de tais produtos, e com isso deixá-los mais acessíveis.

Se Zema realmente se preocupasse com os pobres, ele defenderia o fim do curso forçado do Real, uma moeda altamente desvalorizada que apenas fez destruir o poder de compra dos brasileiros nas últimas décadas. Principalmente dos mais pobres que Zema diz querer ajudar.

Mas Zema não fará isso. Principalmente porque o sustento dele como parasita estatal depende da tributação. Que é um verdadeiro roubo. Ele seguirá o caminho conveniente de punir pessoas por ousarem comprar produtos que o estado julga “supérfluos” os tributando e comprando os miseráveis com esmolas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Haddad afirma que memes que estão criando sobre ele são baseados em “desinformação”

Os memes feitos em crítica ao aumento de impostos atribuído ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), estão tomando conta da internet no Brasil. O ministro, porém, afirma que tais memes em crítica a ele são baseados em “desinformação“. Os memes Após a criação de novos impostos, o ministro Haddad se tornou alvo de diversos […]

Leia Mais
Política

Aumenta a pressão sobre Biden para que ele repense sua candidatura

Na quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, viu crescer a pressão para que reconsiderasse sua candidatura à reeleição, que é questionada tanto por membros de seu partido quanto por apoiadores importantes, como o ator George Clooney. Em meio à cúpula da OTAN, que de terça a quinta-feira reúne em Washington os chefes de […]

Leia Mais
Política

O Fórum Econômico Mundial ainda está conspirando contra sua liberdade

Em janeiro passado, a elite da humanidade se reuniu novamente em Davos, na Suíça, para planejar o resto de nossas vidas. Os líderes do Fórum Econômico Mundial (FEM) são moralmente superiores porque se dedicam a destruir sua liberdade de salvar a Terra ou, pelo menos, proteger o habitat das plantas. Sessenta chefes de governo de […]

Leia Mais