A grande mudança para a autocustódia: 800.000 BTC no valor de mais de US$ 20 bilhões retirados das exchanges em 3 anos

Autocustódia Bitcoin

As exchanges centralizadas estão mantendo significativamente menos bitcoins (BTC) do que há três anos. Dados da Cryptoquant.com revelam que, em 1º de setembro de 2020, as plataformas de negociação tinham uma reserva de 2,828 milhões de BTC. Avançando cerca de três anos, esse número diminuiu para 2,024 milhões, marcando uma redução de 804.000 BTC. Embora as reservas de BTC nas bolsas tenham diminuído consistentemente ao longo desses anos, o desastre da FTX desencadeou um declínio substancial.

Pouco antes de a empresa declarar falência em novembro de 2022, as exchanges tinham 2,511 milhões de BTC, indicando uma retirada de 487.000 BTC desde então. Em apenas três meses, desde 23 de maio de 2023, cerca de 184.000 BTC foram retirados das exchanges de criptografia centralizadas. Em 28 de agosto, as participações em BTC nessas plataformas quase caíram abaixo da marca de 2 milhões, com dados do cryptoquant.com indicando um saldo de 2.007.427 BTC. Nos últimos dias, houve um aumento modesto, elevando os acervos de bitcoin para 2,024 milhões.

Os dados arquivados em 2 de setembro de 2023 mostram que, a partir de 2 de agosto, a Binance, a principal plataforma de negociação centralizada em participações de bitcoin, registrou uma retirada de 892,09 BTC em 30 dias. Durante o mesmo período, a Coinbase registrou uma saída de 5.718,86 BTC, com base nas métricas da coinglass.com. A Bitfinex perdeu 429,02 BTC, enquanto a Okx teve 1.778,97 BTC retirados. Entre as cinco maiores, a Gemini testemunhou uma saída significativa de 22.313,24 BTC de suas reservas. A Bybit também registrou uma retirada considerável de 30.673,34 BTC no último mês.

A tendência de saques de BTC de exchanges centralizadas ressalta a crescente preferência por participações de bitcoin (BTC) com custódia própria. Essa abordagem oferece aos usuários controle total sobre seus ativos, eliminando os riscos associados às vulnerabilidades das exchanges, como hacks, possíveis insolvências ou repressões regulatórias. O colapso da FTX serviu como um lembrete claro desses riscos, levando a ideologia da autocustódia ainda mais ao centro das atenções. Embora os motivos exatos para essas retiradas maciças permaneçam incertos, as vantagens da autocustódia são inegáveis.

Artigo escrito por Jamie Redman, publicado em News.Bitcoin.com e traduzido por @rodrigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lula imposto sobre o Bitcoin
Criptomoedas

Governo Lula quer aumentar para 22,5% os impostos para todos os usuários de Bitcoin no Brasil

O governo Lula anunciou que pretende aumentar os impostos para todos os usuários de criptomoedas em até 22,5%. Segundo o governo, a proposta não é criar um novo imposto, mas aumentar ainda mais as taxas para os usuários que possuem criptoativos. A ideia é ‘fechar o cerco’ com àqueles que estão usando criptoativos para driblar […]

Leia Mais
Halving do Bitcoin
Criptomoedas

O halving do Bitcoin está cada vez mais próximo, com menos de 2.900 blocos restantes

No momento, restam menos de 2.900 blocos até o próximo halving do Bitcoin. Para compreender o conceito de halving, é bom entender primeiro como surgem os novos bitcoins, principalmente por meio do processo de mineração de bitcoins. Isso envolve entidades, conhecidas como mineradores, que validam blocos repletos de transações que aguardam confirmação. Em sua busca […]

Leia Mais
União Europeia ALM Criptomoedas
Criptomoedas

Novas leis contra lavagem dinheiro da UE visam transações em criptomoedas

Como parte das novas leis contra lavagem de dinheiro, o Parlamento da União Europeia proibiu carteiras de criptografia de autocustódia não identificadas para transações na região. A proibição tem como alvo as transações anônimas em dinheiro que excedam € 3.000 e as carteiras de auto-custódia em várias plataformas. Em uma publicação recente nas redes sociais, […]

Leia Mais