segunda-feira, outubro 3, 2022

Como um sistema de educação descentralizado mantém a arrogância sob controle

Este artigo sobre Educação Descentralizada foi extraído do LiberatED, um boletim informativo semanal por e-mail em que Kerry McDonald, bolsista sênior de educação da FEE, traz notícias e análises sobre tópicos educacionais atuais. Clique aqui para se inscrever.

Embora os últimos dois anos tenham sido caracterizados de várias maneiras por abordagens políticas de cima para baixo e maior centralização do poder, também houve sinais positivos de descentralização e soluções de baixo para cima. Isso tem sido particularmente verdadeiro na educação, pois os pais buscam novas opções de aprendizado para seus filhos e os educadores empreendedores criam uma variedade de novos modelos.

Um ecossistema educacional descentralizado é caracterizado pela diversidade de opções. Em vez de os pais serem forçados a enviar seus filhos para uma escola distrital designada com um currículo padronizado, eles agora têm oportunidades cada vez maiores de acessar uma escola autônoma, escola particular ou microescola de baixo custo, centro de aprendizado, centro de ensino em casa ou cooperativa, ou plataforma virtual de aprendizagem.

Quanto mais robusto o mercado educacional, mais opções haverá para os pais. Quanto mais opções estiverem disponíveis, mais provável será que os pais encontrem um ambiente de aprendizagem para seus filhos que reflita suas preferências e necessidades.

Recentemente, participei de várias conferências nas quais destaquei os benefícios da vasta descentralização da educação e a inovação e diversidade que ela produz.

Alguns participantes da conferência recuaram, preocupados que esse “oeste selvagem” de escolhas educacionais levaria ao caos geral, incluindo opções de aprendizado de baixa qualidade e falta de boa pedagogia.

Minha pergunta óbvia de acompanhamento foi: Quem decide? Quem decide o que é uma opção de aprendizagem de “qualidade” ou o que é uma “boa pedagogia”?

Os críticos responderiam que eles, ou outros em quem confiam, têm a resposta do que é “qualidade” e “bom” em termos de opções educacionais.

Eles podem acreditar que estão certos, assim como outros críticos que têm uma perspectiva diferente sobre a educação podem acreditar que estão certos. Por exemplo, posso acreditar que a educação autodirigida, ou desescolarização, é a melhor opção educacional e tentar persuadi-lo de sua qualidade e bondade, enquanto os defensores da educação Waldorf, ou Montessori, ou Clássica, ou educação baseada na fé, ou a preparação para a faculdade também tentará convencê-lo de que a abordagem educacional preferida deles é a melhor.

Não existe a “melhor” escolha educacional, assim como não existe a “melhor” escolha alimentar. Alguns de nós acham que a comida mexicana é melhor, enquanto outros acham que é italiana. Você pode dizer que o café Starbucks é o melhor, enquanto eu sei que é o Dunkin’ Donuts. Em um mercado dinâmico de escolhas, não existe a “melhor” escolha – apenas o que decidimos ser o melhor para nós, com base em nossas preferências individuais.

Podemos tentar persuadir os outros, por meio da razão e do argumento, a nossa maneira de pensar. Poderíamos explicar por que achamos que a couve é boa ou por que achamos que a aprendizagem baseada em projetos é boa. Mas a escolha deve estar sempre com o indivíduo.

Cabe ao consumidor, que na educação é o pai, decidir o que é melhor para seu filho, alinhado com suas preferências. É o pai que, em última análise, decide o que é “qualidade” e o que é “bom”.

É por isso que a descentralização é tão importante na educação, especialmente. Elimina a arrogância educacional. Os planejadores centrais ou “especialistas” em educação não podem mais definir o que é bom e certo para os filhos de outras pessoas. Os pais decidem o que é bom e certo para seus filhos, selecionando em um mercado diversificado de opções de educação.

O economista ganhador do Prêmio Nobel, Friedrich Hayek, referiu-se à arrogância dos planejadores centrais, ou à ideia de que “o homem é capaz de moldar o mundo ao seu redor de acordo com seus desejos”, como o “conceito fatal”. Em vez disso, ele defendeu a descentralização. Ele afirmou que, em vez de criar caos, a descentralização realmente aumentará a ordem. Em seu livro, A Arrogância Fatal, Hayek escreve:

“Para a mente ingênua que pode conceber a ordem apenas como o produto de um arranjo deliberado, pode parecer absurdo que, em condições complexas, a ordem e a adaptação ao desconhecido possam ser alcançadas mais efetivamente pela descentralização das decisões e que uma divisão de autoridade realmente pode estender a possibilidade de ordem geral. No entanto, essa descentralização realmente leva a que mais informações sejam levadas em consideração.”

Colocando de forma mais sucinta, Hayek diz: “A curiosa tarefa da economia é demonstrar aos homens quão pouco eles realmente sabem sobre o que imaginam que podem projetar”.

Todos nós demonstramos arrogância. Todos nós pensamos que nossa abordagem educacional preferida é a melhor, que nossas definições de opções de aprendizagem de “qualidade” e “boa pedagogia” são as corretas, as verdadeiras.

Um sistema descentralizado e baseado no mercado mantém nossa arrogância sob controle. Desafia-nos a tentar influenciar os nossos potenciais clientes para o nosso modo de pensar, evitando a imposição da nossa vontade sobre os outros. Baseia-se na troca voluntária, não na coerção.

Em um mercado de educação totalmente descentralizado, há a garantia de opções de educação que você ou eu consideramos de “baixa qualidade” e infundidas com “pedagogia ruim”. Se um número suficiente de pais concordar que uma determinada opção de educação é inferior, essa organização sairá do negócio. As preferências dos consumidores, e não os planejadores centrais ou “especialistas”, decidirão quais organizações educacionais são bem-sucedidas e quais fracassam, quais são boas e quais são ruins.

;

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA