“É preciso saber ler e escrever pra limpar banheiro e para varrer uma rua?”, questiona mulher que trabalha com reciclagem no RS

ASG CLT

Em um vídeo publicado pelo perfil da ONG Projeto Nono Giacomelli, uma mulher que é uma das vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul desabafa sobre sua situação. Ela informa que sua única fonte de renda é trabalhando com reciclagem, ganhando R$ 350,00 por mês.

Ela informa que devido ao fato de ser analfabeta não consegue nenhum emprego formal. O caso dela mostra bem como as leis trabalhistas geram custos maiores para se contratar alguem, levando a fazer exigências com finalidade meramente eliminatória que não fariam de outro modo.

No vídeo, a mulher desabafa com Shaieni Giacomelli, fundadora e responsável pela ONG. Quando questionada sobre como está a sua situação, a mulher comenta que não recebe auxílio nenhum do governo e que a cortaram do Bolsa Família.

Ela comenta que a única renda que possui é devido ao trabalho de reciclagem, ganhando cerca de R$ 350 por mês. Ela afirma que não consegue nenhum emprego de carteira assinada devido ao fato de ser analfabeta, e questiona se faz sentido exigir que alguém precise saber ler e escrever para realizar uma atividade que a princípio não demande tais habilidades.

Abaixo, um vídeo com o desabafo dela publicado no perfil do Projeto Nono Giacomelli no Instagram:

Consequência das leis trabalhistas

Como já abordado aqui em outros artigos (como este e este) as leis trabalhistas tornam mais custoso para os empregadores contratarem trabalhadores menos qualificados. Com o aumento dos custos para contratação, os emptegadores irão aumentar os critérios para se contratar alguem. Nem que sejam meramente eliminatórios.

Ao mesmo tempo, as empresas com menores rendimentos que poderiam contratar pessoas menos qualificadas são impedidos pelas leis trabalhistas. Com isso, empresas assim ficam privadas de contratar ajudantes, o que leva muitas vezes os demais funcionários ao acúmulo de função, ou o próprio acumular mais serviços, comprometendo sua produtividade.

Enquanto isso, trabalhadores menos qualificados, como essa senhora do vídeo, ficam impossibilitados de conseguir um trabalho que pague um pouco melhor.

Sobre a ONG Instituto Nono Giacomelli

A ONG Projeto Nono Giacomelli foi fundada por Shaiene Giacomelli com o intuito de ajudar pessoas desabriadas. A ONG vem fazendo um excelente trabalho levando doações de mantimentos para pessoas desabriadas no Rio Grande do Sul devido a tragédia das enchentes.

Para ajudar a ONG, basta enviar uma doação para a chave pix: [email protected]


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

"Quem construirá as estradas?"
Economia

“Quem construirá as estradas?” — Parte 1

Todos que defendem o mercado livre em detrimento do envolvimento do governo na economia já ouviram essa resposta comum: “Quem vai construir as estradas?” Às vezes, a pergunta é sincera e merece ser respondida com paciência. Na maioria das vezes, no entanto, é a rejeição de um argumento complexo e tem a intenção de encerrar […]

Leia Mais
Dólar
Economia

Dólar tem 4ª alta seguida e fecha a R$ 5,40 após declarações de Lula e decisão do Fed

O dólar teve seu quarto dia de alta nesta quarta-feira (12), fechando em R$ 5,40. O mercado financeiro atribui tal alta do dólar à repercussão das falas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que deu sinais de que queria aumentar os gastos do governo e fazer corte de juros usando “questões sociais” como justificativa. […]

Leia Mais
Forbs
Economia

A política industrial está de volta — e é um erro gigantesco

Desde a crise financeira, os formuladores de políticas nas economias ocidentais se voltaram cada vez mais para políticas industriais de grande escala. As chamadas políticas orientadas para a missão são implementadas em resposta a diversos problemas percebidos, destacando-se as mudanças climáticas e o recente desejo dos países ocidentais de diminuir sua dependência da China. O […]

Leia Mais