Entretenimento Financeiro – A Festa do Dinheiro Para Todos

É provável que você ja tenha se deparado com propagandas que prometem te ensinar a ganhar dinheiro através de investimentos. Parece que o vendedor do curso “fique rico sem ter dinheiro” sabe algo extraordinário: uma fórmula para acabar com a miséria financeira de uma vez por todas.

Todo mundo rico num país pobre

O problema financeiro, se é que podemos classificá-lo dessa forma, na verdade, não deriva das finanças, mas do tipo de mentalidade que cada um possui. Porém, a mudança mental só é possível ser efetivada no plano material.

É na realidade concreta que as coisas acontecem, e parece ser justamente nesse plano que ocorre a fuga das pessoas rumo a liberdade financeira. Saem da realidade e adentram na ficção. A liberdade financeira acaba se tornando um mundo de fantasia onde a palavra rendimento é cultuada.

Embora os educadores financeiros exerçam a importante função de explicar conceitos básicos sobre finanças pessoais e orçamento doméstico ao público em geral, a maioria deles parece extrapolar o campo da instrução consciente, saltando imediatamente para o misticismo

Compre dinheiro, agora

Somos direcionados à crença de que a solução para a economia do país está no indivíduo emprestar dinheiro para o governo ou para um banco qualquer.

Compre o título A, B ou C. Invista nisso ou naquilo. Não deixe o seu dinheiro parado na conta. Em linhas gerais, os vendedores/educadores querem o nosso dinheiro nos locais que julgam ser os melhores: nos produtos/investimentos que eles nos oferecem.

Não há problema algum em você vender algo. Aliás, é necessário que as coisas sejam vendidas para a economia funcionar. O perigo está na compra efetuada pelo prazer que o ato de comprar nos traz.

A situação se agrava quando vemos uma quantidade enorme de pessoas contando como ficaram ricas depois que começaram a poupar dinheiro. Essa informação na maioria das vezes é falsa, pois o que nos enriquece repousa muito mais em ações aleatórias do que nas atitudes conscientes e programadas.

Entreter para conquistar

O que afirmei no parágrafo anterior não é um incentivo à preguiça. Nem um desprezo ao esforço. É apenas um fato que passa despercebido pela maioria de nós ao assistirmos um vídeo de alguém que até o dia de ontem morava na rua e hoje é “proprietário de duas ilhas e três planetas”.

Entreter significa gerar audiência. É o ato de fazer com que uma pessoa ou grupo sinta-se bem com aquilo que consome, tendo como fim a sensação agradável, o prazer. Durante esse processo, os entretidos agem emocionalmente. Caso essa sensação seja prolongada o indivíduo entra num estágio de embriaguez mental, que por sua vez, gera o delírio.

Nesse estágio vale tudo. Até dizer que o estado não dá calote em ninguém, e por isso, podemos comprar títulos do tesouro direto, sem medo. Se o governo não tiver grana no dia marcado para devolver o que emprestamos a ele, a impressora estatal será ligada, e o dinheiro fresquinho, recentemente criado, cairá diretamente na nossa conta de investimentos.

Como o objetivo é o prazer do ato praticado, a expressão “vou fazer umas comprinhas” torna-se comum para todos quanto adquirem produtos financeiros. A pessoa compra ações da empresa X ou Y porque “estão baratas”, mas se esquece que nem tudo o que está barato hoje ficará caro amanhã.

Faz sucesso, então deve ser bom

Os maiores canais sobre finanças no YouTube são ambientes para entretenimento. A pessoa ingênua que acessa esses conteúdos sem saber que o dinheiro que usamos desvaloriza com o passar do tempo, após dez vídeos assistidos sobre “o milagre dos juros compostos” começará a dizer que será milionária.

Em março de 2023, R$ 1 vale algo próximo a R$ 0,10 em relação a 1994, ano do lançamento dessa moeda. Ter 1 milhão de reais hoje não resolve muita coisa. E num futuro não muito distante, todos nós seremos milionários. Graças ao governo (permita-me a ironia), que deprecia o poder de compra da moeda, está cada dia mais fácil se tornar um milionário. A única coisa que diminui a nossa empolgação é o fato de que quanto mais dinheiro ganhamos, menos ele vale.

Com o vento soprando a favor, o entretenimento financeiro segue gerando seus vencedores e perdedores. Além de aumentar suas vítimas a cada dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vietnã
Economia

Como o capitalismo venceu o socialismo no Vietnã

Phung Xuan Vu, de oito anos, e seu irmão de 10 anos foram responsáveis por buscar comida para sua família, que estava em constante aperto de fome. Eles viviam no Vietnã na década de 1980, então isso exigia cartões de racionamento. Um dos bens mais importantes da família era um livreto de vales-alimentação. Como a […]

Leia Mais
Argentina
Economia

Ação Humana em seu 75º aniversário nos ajuda a entender como o estatismo dizimou a Argentina

O septuagésimo quinto aniversário do livro Ação Humana de Ludwig von Mises nos convida a refletir sobre as conquistas acadêmicas de Mises e como a corrente econômica dominante ainda não alcançou seus avanços na economia. Como Jesus Huerta de Soto aponta em seu estudo preliminar para a versão em espanhol da décima terceira edição de […]

Leia Mais
Tomate
Economia

Saboreie o gosto da Independência, cultive-a você mesmo!

Cultivar os seus próprios tomates pode ser muito mais gratificante do que o doce sabor da sua colheita. Os benefícios adicionais tradicionais fazem com que muitos de nós regressem estação após estação. Se é um jardineiro, conhece a grande sensação de agir diretamente sobre a natureza para produzir os alimentos que come. Cultivar tomates leva-o […]

Leia Mais