O homem que gastou milhares de Bitcoins em pizzas

Em 22 de maio de 2010, Laszlo Hanyecz trocou 10.000 Bitcoins por algumas pizzas no que se acredita ser a primeira transação do mundo real envolvendo Bitcoin. Todos os anos, em 22 de maio, os entusiastas da Bitcoin em todo o mundo comemoram o “Bitcoin Pizza Day” para marcar o evento. O Bitcoin valia menos que um centavo.

Hanyecz, um programador de computadores que mora na Flórida, disse que fez várias outras atividades depois da pizza. No total, ele estimou que gastou 100.000 Bitcoins em vários itens, muitos deles em pizza. Atualmente, um Bitcoin vale cerca de US$ 8.000 e já superou o petróleo como ativo de melhor desempenho do ano.

“Eu acho que pensar assim é… não é muito bom para mim”, diz Hanyecz.

Bitcoin é uma moeda digital que não é controlada por nenhum governo ou banco. Seus registros são mantidos por uma rede global de computadores e seu valor é baseado no mercado livre. Ele pode ser comprado e vendido por dólares através de exchanges.

Jercos – o homem que ganhou 10.000 BTC vendendo duas pizzas

Jeremy Sturdivant, também conhecido como Jercos, que participou do negócio como o destinatário dos 10.000 BTC que ele transformou em duas pizzas. Sturdivant, disse que ele transformou o BTC de Hanyecz em uma viagem quando eles valiam algumas centenas de dólares, observou que ele ainda usa o Bitcoin em sua vida cotidiana “em certa medida”:

Trabalhar com contrato independente gera dinheiro de várias formas, e eu recebo em Bitcoin, Litecoin e até Dogecoin. No entanto, comércios locais não aceitam, por isso, na maioria das vezes, me permito trocar para usá-lo, além dos serviços […] on-line Steam, Humble Store e outros varejistas de videogames que aceitam o Bitcoin durante muito tempo. Das vezes que eu tinha tempo livre para games. Certamente a maior parte da minha biblioteca Steam foi paga com o Bitcoin.

Quando perguntado sobre a maior quantidade de Bitcoin que ele já teve, Sturdivant estima que seja perto de 40.000 devido à mineração e comercialização no início:

Eu nunca vi o Bitcoin como um investimento, e embora seja fácil olhar para trás e dizer ‘eu poderia ter sido um milionário’, eu acho que é mais importante olhar para a mentalidade que tive durante a transação de pizza, não sendo a de adquirir um investimento, mas de fazer uso de uma forma de moeda. Se eu estivesse procurando acumular moedas, provavelmente não estaria no lugar certo na hora certa.

Sturdivant também observou que ele também continuou comprando e vendendo pizza em criptomoeda usando Bitcoin, Litecoin (LTC) e Ethereum (ETH), e que prefere pizza com carne e cebola roxa. “Eu gosto muito de pizza havaiana”.

Jercos efetua diversas transações em Bitcoin, mas, em contrapartida, a quantidade de carteiras com Bitcoins não-gastos bateu recorde recentemente.

Fontes: SBS News e Cointelegraph


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fernando Haddad G20
Economia

Haddad defende medidas para que bilionários parem de usar brechas fiscais

Na última quinta-feira (29), o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, defendeu medidas para que bilionários pagassem sua parte “justa” de impostos. Para isso, o ministro defendeu uma “contribuição internacional” (na verdade, uma coerção coordenada internacional) para garantir que bilionários não usem das brechas fiscais, que o ministro chamou de “buracos tributários”. O discurso do ministro […]

Leia Mais
Luiz Marinho
Economia

Sem acordo, governo prorroga por 3 meses nova portaria sobre trabalho aos feriados

O ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, anunciou nesta terça-feira (27) que foi adiado por 90 dias a portaria que muda as regras sobre o trabalho aos feriados. O texto entraria em vigor nesta sexta-feira (1). A decisão do ministro foi tomada durante uma reunião com o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, representantes […]

Leia Mais
O Legado de Max Weber
Economia

A importância do Legado de Max Weber para a compreensão das ciências sociais

Como sabemos, as ciências sociais hoje são quase unicamente estudadas do ponto de vista marxista. E no Brasil isso é uma verdade maior ainda, a ponto de os cursos de ciências sociais terem se tornado verdadeiros púlpitos do discurso marxista. Por sorte, ideias que explicam melhor a realidade dos fenômenos sociais, e totalmente livres do […]

Leia Mais