Ipea: alta de preços acelera para todas as faixas de renda em fevereiro

Inflação 2024

A alta de preços no Brasil, que parecia controlada até o ano passado, acelerou no mês de fevereiro para todas as faixas de renda do país. As famílias de renda média alta foram as que mais sentiram o impacto, que afetou as mensalidades escolares e o preço dos combustíveis.

Os dados estão no Indicador Ipea de Inflação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (como já explicado aqui várias vezes, o estado tenta enganar a população confundindo alta de preços com inflação. Se não sabe o que é inflação, leia este artigo).

A alta de preços de janeiro para fevereiro, no segmento de rnédia alta, subiu 0,88%, sendo a maior alta no período. Já classe baixa teve uma alta um pouco menor, com cerca de 0,78% no mesmo período. Tal aumento teve impacto sobre o preço dos alimentos no domicílio e das tarifas de ônibus urbano e de integração, que são os gastos que mais consomem a renda deste segmento.

No acumulado em 12 meses até fevereiro, enquanto as famílias de renda muito baixa tiveram aumento de preços menor (3,56%), a faixa de renda alta registrou a taxa mais elevada (5,44%).

No mês de fevereiro, pelo terceiro mês consecutivo, o principal impacto sobre as das classes com rendas mais baixas veio do grupo de alimentos e bebidas, que refletiu na alta de preços dos alimentos em domicílio, especialmente itens importantes da cesta de consumo, como arroz (3,7%), feijão (5,1%), batata (6,8%), cenoura (9,1%), ovos (2,4%) e leite (3,5%). O grupo transporte também impactou a os segmentos de menor renda, embora em menor intensidade. Devido ao impacto, houveram reajustes das passagens de ônibus urbano (1,9%) e do transporte público por integração (9,4%).

Quanto as classes de renda média, média alta e alta, a alta dos preços em fevereiro se deu principalmente sobre o grupo educação, que teve um aumento de de 6,1% sobre as mensalidades escolares. O grupo de transportes também impactou as classes com renda mais alta, devido aos reajustes da gasolina (2,9%) e do etanol (4,5%). Por outro lado, a queda de 10,7% das passagens aéreas gerou um forte alívio para este segmento.

A previsão da alta de preços para este ano como prevista em 2023, era de 3,80. No entanto, já no mês de fevereiro a previsão havia sido ajustada para 3,81%. A recente alta acelerada dos preços pode frustrar ainda mais as expectativas positivas que o mercado e os simpatizantes do atual governo Lula para este ano e os restantes da sua atual gestão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vietnã
Economia

Como o capitalismo venceu o socialismo no Vietnã

Phung Xuan Vu, de oito anos, e seu irmão de 10 anos foram responsáveis por buscar comida para sua família, que estava em constante aperto de fome. Eles viviam no Vietnã na década de 1980, então isso exigia cartões de racionamento. Um dos bens mais importantes da família era um livreto de vales-alimentação. Como a […]

Leia Mais
Argentina
Economia

Ação Humana em seu 75º aniversário nos ajuda a entender como o estatismo dizimou a Argentina

O septuagésimo quinto aniversário do livro Ação Humana de Ludwig von Mises nos convida a refletir sobre as conquistas acadêmicas de Mises e como a corrente econômica dominante ainda não alcançou seus avanços na economia. Como Jesus Huerta de Soto aponta em seu estudo preliminar para a versão em espanhol da décima terceira edição de […]

Leia Mais
Tomate
Economia

Saboreie o gosto da Independência, cultive-a você mesmo!

Cultivar os seus próprios tomates pode ser muito mais gratificante do que o doce sabor da sua colheita. Os benefícios adicionais tradicionais fazem com que muitos de nós regressem estação após estação. Se é um jardineiro, conhece a grande sensação de agir diretamente sobre a natureza para produzir os alimentos que come. Cultivar tomates leva-o […]

Leia Mais