segunda-feira, outubro 3, 2022

O confisco nas contas de russos reforça a importância do Bitcoin

Não bastando as inúmeras consequências maléficas que a população russa vem sofrendo por conta da guerra, nesse último domingo (06/03/2022) o governo russo anunciou, por meio de uma agência estatal de notícias (Ria Novosti), uma medida um tanto quanto desastrosa a população russa: o governo informou que irá confiscar recursos “ilegais” dos cidadãos, incluindo dinheiro em contas bancárias, imóveis, veículos e outras propriedades que, segundo o órgão, não foram declaradas de forma correta para a Receita nos últimos três anos.

Como sempre, o estado se utiliza de desculpas e pretextos para poder realizar as atitudes mais banais possíveis; e ainda de forma sarcástica e eufemística, tenta mostrar aos outros que o ato está sendo realizado para o bem, quando na verdade, é apenas mais uma forma de roubar os indivíduos.

O governo, que nada mais é do que uma empresa falida e coercitiva, está sem maneiras de financiar a guerra e outras particularidades, pois vem sofrendo diversas sanções econômicas tanto de outras nações como de empresas privadas e outros players do mercado, e com isso teve de apelar para esse roubo em massa.

Para a sorte da população mundial, hoje em dia existem as criptomoedas. Se essa mesma atitude ocorresse a 20 anos atrás, grande parte das pessoas teria, infelizmente, seus recursos confiscados pelo estado; mas como hoje há diversas redes de pagamentos e de reserva financeira, aqueles que já utilizavam as criptomoedas, e outros que estão dispostos a adotar-las nesse momento, terão a oportunidade de se livrarem das garras do Leviatã, fazendo delas uma ótima oportunidade de preservar capital sem que estejam vulneráveis a leis arbitrárias impostas pelo governo. E é nesse momento de tensão bélica ao redor do mundo que o Bitcoin, principal criptoativo do mercado, vem performando muito bem.

Demonstrando um claro sinal de que cada vez mais as pessoas enxergam valor nele, não só por ser um meio de troca limitado, mas também por proporcionar essa blindagem patrimonial contra bandidos. Isso já havia sido provado semanas atrás no Canadá quando o governo, desesperado para frear uma manifestação legítima, tentou a mesma façanha que Putin, mas esbarrou justamente nessa lacuna, pois os cidadãos se utilizaram das criptomoedas para conseguirem financiar suas manifestações sem que fossem impedidos por um ato ditatorial.

Esses acontecimentos recentes, por mais tristes que sejam, acabam, ao mostrarem a verdadeira face do estado, por beneficiar e fortalecer o Bitcoin, assim como as outras criptomoedas, pois está comprovando o quão elas são importantes para a soberania do indivíduo frente ao governo; e isso deve ser um caminho sem volta, uma vez que deverão ocorrer casos semelhantes em outros locais. Aqueles que não se atentarem, e continuarem deixando todos os seus bens sob custódia de terceiros, “pagaram” pelo erro de confiar em mafiosos que, na primeira oportunidade que tiverem, os roubarão.

A cada dia que passa, a importância da invenção de Satoshi Nakamoto em 2008 nos mostra o quão genial ele foi. Além de ter criado uma rede de pagamentos sem fronteiras, apolítica e amoral, está ajudando pessoas a salvarem vidas mundo afora nesse exato momento — momento esse em que passamos por mais um triste capítulo da história mundial. E o alerta que fica a todos é: mais “Putins’’ e “Trudeaus’’, infelizmente, existem e existirão; evite correr o risco de ser presa desses ditadores.

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA