sexta-feira, maio 20, 2022

O padrão atual do dólar fiat é fundado em mentiras

O governo dos EUA não cumpriu sua promessa de trocar ouro por dólares

Vivemos na era da inflação desenfreada (monetária e de preços), das crises econômicas mais frequentes, dos gastos deficitários crônicos, das dívidas impagáveis e das enormes bolhas financeiras. Isso não é acidental. Isso é uma consequência.

Esse fato e as muitas consequências econômicas, sociais e até culturais de nosso sistema de moeda fiduciária permanecem amplamente desconhecidos para a maioria das pessoas. O dólar americano tornou-se uma moeda fiat por engano e não devido ao seu mérito ou por livre escolha.

Tanto que o economista Jacques Rueff intitulou seu livro The Monetary Sin of the West (O Pecado Monetário do Oeste) (1971) em referência ao padrão de câmbio de ouro de Bretton Woods, que nem mesmo era um sistema monetário fiduciário completo.

O que é dinheiro fiduciário (fiat)? Você pode perguntar. Essencialmente, é uma moeda inconvertível ou não lastreada, geralmente emitida pelo governo/banco central. O dinheiro fiduciário é uma moeda de oferta ilimitada.

A palavra “fiat” vem do latim e significa “faça-se”, usada no sentido de ordem e decreto do governo. Outra palavra-chave aqui é “inconvertível”. Observe que a moeda fiduciária emergiu do papel-moeda não sendo mais resgatável por prata e ouro.

O dólar americano, o euro e todas as moedas nacionais hoje são fiduciárias. Assim, elas podem ser facilmente e “infinitamente” criadas (impressas, se você preferir). Além disso, por causa do sistema bancário de reservas fracionárias, os bancos comerciais também criam grandes quantias de dinheiro “emprestando-o” à existência – expansão artificial do crédito.

Uma Breve Recapitulação

Para contextualizar, deixe-me descrever brevemente como o sistema de troca de ouro de Bretton Woods se transformou no padrão global de dólar fiduciário.

Bretton Woods é o nome que as nações aliadas, lideradas pelos Estados Unidos, deram ao sistema monetário que projetaram para governar o comércio global, após a Segunda Guerra Mundial, porque a conferência ocorreu em Bretton Woods, New Hampshire, em 1944.

Os países participantes concordaram que o dólar americano seria lastreado em ouro a uma taxa de câmbio fixa de US$ 35 por onça e que, por sua vez, outras moedas seriam vinculadas ao dólar. Daí o nome “padrão de câmbio de ouro” em oposição ao padrão-ouro clássico.

Foi assim que o dólar americano se tornou a moeda de reserva mundial. Com a promessa de ser a ponte, ou a ligação, entre o ouro e todas as outras moedas. 

Observe, no entanto, que sob esse arranjo, apenas governos e bancos centrais poderiam resgatar (converter) papel-moeda em ouro. Nem os cidadãos nem as empresas foram autorizados a fazê-lo. O que é um grande sinal de alerta.

Como os governos não são particularmente conhecidos pela honestidade e pelo exercício da disciplina fiscal, com o passar do tempo e para continuar financiando seus seus programas de gastos sempre crescentes, principalmente a guerra e um estado de bem-estar social em expansão, os EUA se viram imprimindo mais dólares do que poderiam trocar por ouro.

Percebendo isso, um punhado de países europeus começou, com razão, a duvidar da capacidade dos EUA de manter seu compromisso de conversibilidade do ouro à luz da crescente criação de moeda (inflação monetária). Isso levou alguns países, em particular a França, a começar a resgatar seus dólares em papel por ouro. Outros países seguiram o exemplo.

Com a pressão para resgatar aumentando, o governo Nixon, em 15 de agosto de 1971, encerrou unilateralmente a conversibilidade do dólar em ouro – o que deu ao dólar estabilidade, confiabilidade e aceitação internacional. Nixon anunciou: 

“Ordenei ao secretário Connally que suspendesse temporariamente a conversibilidade do dólar em ouro ou outros ativos de reserva, exceto em quantias e condições determinadas ao interesse da estabilidade monetária e pelo melhor interesse dos Estados Unidos.”

Em palavras mais francas, o governo dos EUA não cumpriu sua promessa de trocar ouro por dólares. Foi assim que acabamos com o sistema monetário fiduciário global de hoje – o padrão dólar. 

Além da instabilidade monetária, financeira e econômica desenfreada; tirania e injustiça que vem com um sistema de moeda fiduciária.

2021 marcou o cinquentenário dessa suspensão “temporária” e, portanto, do sistema global de moeda fiduciária.

E apesar do agravamento da situação socioeconômica, dado o pensamento econômico predominante hoje, é difícil, talvez inconcebível, imaginar os EUA restabelecendo qualquer tipo de ligação entre o dólar e o ouro num futuro próximo.

Vale a pena notar que o “crime de 71” foi simplesmente o golpe final contra o dinheiro moral e sólido e o passo final na jornada para a moeda fiduciária, que, na minha opinião, começou em 1913, com o estabelecimento do atual banco central, o Sistema da Reserva Federal.

O atual sistema global de moeda fiat, o padrão dólar, teve origem em trapaças e enganos do governo por parte de políticos egoístas, servindo a grupos de interesse especiais, que conspiraram para criar um sistema monetário fiduciário completo. Em benefício das elites dominantes e em detrimento de todos os outros.

Agora, suponha que o público americano, em 1971, estivesse bem informado e ciente da natureza insidiosamente destrutiva do “dinheiro fiat”. Será que eles teriam permitido que seu governo fizesse do dólar uma moeda fiduciária?

A realidade é que a humanidade vive sob um sistema monetário fiduciário. Mas, como a sólida economia mostra e a história prova, a moeda fiduciária é uma forma de dinheiro não confiável e falível que sempre chega a um fim econômico e socialmente destrutivo.

05/02/2022

Texto por Manuel Tacanho. Traduzido e adaptado por Gazeta Libertária.

Manuel Tacanho é fundador da Afridom, uma startup de banco digital baseada em moeda forte para a Europa e África. Ele também é um defensor de mercados livres e moeda forte para o desenvolvimento econômico da África.

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

CONFIRA