Polícia investiga boicote à profissionais esquerdistas no Whatsapp

Lista de boicote à empresas e profissionais esquerdistas é denunciada à polícia

Pelo visto, não é possível nem mais boicotar uma empresa ou profissional de acordo com suas preferências. Nem incentivar tal atitude. Bom, é o que a polícia está tentando fazer.

Alguns profissionais denunciaram à polícia que estavam sendo compartilhadas mensagens no Whatsapp incentivando pessoas a evitar comprar seus produtos ou contratar seus serviços.

As denúncias foram feitas nos estados de SC e PR. A polícia instaurou um termo circunstanciado para investigar crime de injúria eleitoral. Bom, como boicotar não é crime, arranjaram uma brecha na lei para criminalizar a livre escolha dos acusados.

Nas mensagens compartilhadas, há os nomes dos profissionais e comerciantes dos dois estados, junto com a frase “o povo de direita não deve frequentar nem gastar o seu dinheiro”.

Você pode conferir o exemplo de um print destas mensagens de incentivo ao boicote abaixo:

A especialista em direito trabalhista, Ana Carolina Moreira de Carvalho, afirma ter recebido informações sobre a lista de boicote no dia 18 de outubro. Ainda segundo ela, além da Polícia Civil, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Estado e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) já foram acionados. É, os profissionais e empreendedores supostamente esquerdistas não deixaram barato.

“Em princípio, foi uma mensagem no WhatsApp que foi repassando e foram incluindo quem elas achavam que poderia ser ‘esquerdista’, ou ‘comunista’, ou ‘petralha’, conforme a palavras que estão circulando”

disse a advogada.

A Polícia Civil informou que além de instaurar um termo circunstanciado após ser comunicada pelo MPSC, todas as “medidas cabíveis” para elucidação do caso serão tomadas. A OAB por sua vez disse que acompanha “atentamente a apuração e seus desdobramentos junto às autoridades responsáveis pela investigação”.

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (claro, não poderia faltar) também foi procurado. No entanto, até agora não retornou nenhuma resposta.

Pois é, como nossas “digníssimas” autoridades não podem prender alguém pela prática de boicote, resolveram apelar para a “injúria eleitoral”. Veja só, nem o direito de repudiar alguém por suas preferências políticas é mais possível.

Independente da motivação do boicote, todo indíviduo possui o direito de incentivar qualquer ação não agressiva em relação a qualquer indíviduo ou instituição. Pois essa é a essência de uma sociedade verdadeiramente livre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Elon Musk Senado
Direito

Após críticas a Moraes e Lula, Elon Musk é convidado a falar em comissão do Senado

Após uma série de críticas dirigidas ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Elon Musk, dono do X (antigo Twitter) foi convidado a participar de uma audiência pública na Comissão de Segurança do Senado. O convite foi aprovado em sessão realizada na terça-feira […]

Leia Mais
Elon Musk e Alexandre de Moraes
Direito

PF quer convocar representantes do X após críticas de Elon Musk a Moraes e Lula

Após críticas de Elon Musk a Lula e Alexandre de Moraes, a Polícia Federal (PF) quer convocar representantes do X (antigo Twitter) para prestar esclarecimentos sobre as ações do bilionário na plataforma. Investigadores afirmam que os depoimentos não têm data prevista. A medida é uma das estratégias da investigação da Polícia Federal, que apura se […]

Leia Mais
Neto de Lula
Direito

Neto de Lula desafia críticos a provarem que seu avô é ladrão

Em um vídeo no Instagram publicado no dia 1° de abril (conhecido como Dia da Mentira), o neto do presidente Lula, Thiago Trindade, fez um desafio aos críticos do petista: provar que seu avô é ladrão. “Fica o meu desafio a essas pessoas que acham que podem ficar fazendo o Brasil de refém com ameaças. […]

Leia Mais