Protestos contra o lockdown na Áustria

No último sábado (20), milhares de manifestantes se reuniram em protestos contra o lockdown que o governo da Áustria quer impor contra os não vacinados para combater o avanço do covid, que persiste apesar de 66% da população estar vacinada com as duas doses.

Os Protestos se concentraram em Viena, capital da Áustria, e foram e o Partido da Liberdade está entre aqueles que convocaram o protesto e prometeram combater as novas restrições. No protesto, muitos manifestantes carregavam cartazes com dizeres como “não à vacinação”, “já chega” ou “abaixo a ditadura fascista”


A Áustria se tornou o primeiro país europeu a retomar o lockdown por temor de uma 5 onda, medida está que será aplicada na próxima segunda feira (22).


Segundo a polícia local, cerca de 35 mil manifestantes se reuniram com cartazes “ abaixo a ditadura fascista”.
Entre as reivindicações dos manifestantes, temos a recusa e resistência de um lockdown total e “ não a vacinação obrigatória”.

Governo da Áustria aposta na retomada do lockdown para conter o covid

De acordo com o chanceler da Áustria, Alexander Schallenberge, o novo lockdown durará pelo menos 10 dias e que haverá uma exigência legal a partir de 1º de fevereiro de 2022 para que as pessoas se vacinem. O mesmo reclama o fato de muitos dos não vacinados persistirem em não obedecer as exigências do governo para combater o vírus.

Apesar do governo da Áustria e da grande mídia com viés progressista afirmar que a Áustria possui uma taxa muito baixa de vacinados, a verdade é que taxa de vacinação está apenas 2% abaixo da média dos países europeus e 13% abaixo dos países europeus mais vacinados, e ainda assim os surtos de covid persistem, com o número de mortes no entanto, relativamente baixos.

Protestos contra lockdown também na Holanda

Na Holanda também houve protestos de opositores contra a retomada do lockdown nos país, o que levou o governo à acionar as forças policiais para conter os protestos, o que levou à confrontos dos manifestantes com os policiais.

OMS preocupada com quinta onda de covid

De acordo com o diretor da OMS Hans Kluge, há uma preocupação da organização com a possibilidade de uma quinta onda do covid, na qual ele especula que poderão morrer até 500 mil pessoas, dado o aumento de casos de covid continuarem a crescer, mesmo após os longos períodos de lockdown e da Europa ter uma taça de vacinados com duas doses de 68%, com alguns países chegando à 79% da população vacinada com as duas doses da vacina contra o Covid-19.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Homem tenta invadir residência oficial de Lula
Política

Tentativa de invasão a residência oficial de Lula no Palácio do Planalto

Na manhã deste sábado (24), houve uma tentativa de invasão do Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente Lula (PT). O petista estava presente quando um carro tentou invadir o local. A informação foi publicada primeiramente pelo site de notícias Metrópolis, e confirmada pela acessoria do presidente da República. Segundo a assessoria de comunicação da […]

Leia Mais
China x Tawian
Política

Pequim anuncia manobras militares perto das ilhas de Taiwan

“Nunca houve algo como águas ‘restritas’ ou ‘fora dos limites’ nas zonas de pesca tradicionais do Estreito (de Formosa)”, disse Zhu Fenglian, porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado (o executivo chinês), segundo a agência de notícias oficial Xinhua. A porta-voz disse que o incidente “provocou indignação generalizada” na China e […]

Leia Mais
Política

Morre Alexei Navalny, um dos principais opositores de Putin

Em mais uma execução política, o líder da oposição russa, Alexei Navalny, morreu na prisão nesta sexta-feira. Navalny foi um dos mais vocais opositores do atual regime do Kremlin. A Gazeta Libertária havia escrito sobre sua mais recente condenação aqui. O serviço penitenciário da região disse que ele não se sentiu bem após uma caminhada […]

Leia Mais