Protestos contra passe sanitário crescem na França e República Tcheca

Protestos contra passe sanitário crescem na França e República Tcheca

Assim como a variante Ômicron continua impulsionando casos  e internações ao redor do globo, novas restrições da pandemia — incluindo o passe sanitário — estão evocando novos confrontos políticos na Europa. 

Na França, o presidente francês Emmanuel Macron está sofrendo uma forte reação sobre seu recente discurso contra os não vacinados. Mais de 100 mil pessoas protestaram, sábado (8), demonstrando sua indignação contra o passe sanitário e as vacinas, o qual proíbe as pessoas não vacinadas de ingressarem em restaurantes, espaços de lazer e culturais ou viagens de longas distâncias num transporte público. 

O projeto de lei foi aprovado na quinta-feira passada pela câmara baixa do parlamento francês e prosseguiu para análise do Senado.

O número de manifestantes foi quatro vezes maior do que a última mobilização de 18 de dezembro, segundo o governo francês.  

Atos foram convocados em várias cidades do país, onde alguns aconteceram tumultos, como em Paris e Montpellier, onde a polícia usou gás lacrimogêneo para restabelecer a ordem. 10 policiais ficaram feridos e 34 pessoas foram presas, segundo o Ministério do Interior.

Esse aumento nas mobilizações se iniciou após declarações de Macron de que queria dificultar a vida daqueles que se recusaram a tomar o imunizante, porque “irresponsáveis não são cidadãos”. Palavras que assegurou assumir “total responsabilidade” na sexta-feira. 

“Macron mandamos você à m.”, “Quando teremos uma vacina de verdade?” e “Confiança quebrada” eram bordões presentes em cartazes feitos à mão. 

O presidente do partido de direita, Patriotas, e candidato à presidência em 2022, Florian Philippot, denunciou: “país da tirania, da segregação, onde milhões de pessoas estão isoladas”. Um reformado francês não vacinado afirmou-se “chocado e magoado” com as declarações de Macron, que  as julgou “discriminatórias e insultuosas”. Ele ainda apresentou uma queixa contra o chefe de Estado Francês por “difamação e ameaças públicas por parte de autoridades”.  

Macron talvez tenha consciência da sua posição, mas deverá ter cuidado pelas eleições presidenciais francesas para daqui a 3 semanas, o presidente precisará manter estabilidade em sua liderança nas intenções de votos acima da oponente de centro-direita Valérie Pécresse

Enquanto isso, na República Tcheca, milhares de manifestantes tomaram as ruas de Praga (capital do país) em protesto contra a vacinação compulsória para todos com mais de 60 anos que entraria em vigor em março. O que é surpreendente aqui é que o novo governo tcheco era de oposição ao plano quando seus partidos eram contra a medida, mas agora decreta que terá que manter o mandato da vacina. Um vaivém numa questão tão conturbada não é bom começo para uma coalizão instável em um país com uma das menores taxas de confiança da UE no governo. 

Lucas Guimarães

Internacionalista e cursando MBA em Gestão de Negócios. Atualmente, trabalha na consultoria ULTRAMARES NEGÓCIOS INTERNACIONAIS e integra o grupo internacional Students for Liberty Brazil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Emchentes no Rio Grande do Sul
Política

Municípios atingidos pelas inundações no RS enfrentam burocracia para receber ajuda do governo federal

Em um artigo da CNN, diversas entidades municipais informaram que estão enfrentando uma enorme burocracia para receber verbas do governo federal para lidar com os impactos das inundações no Rio Grande do Sul. A informação contrasta com a acusação por parte da grande mídia e agentes públicos, de que a afirmação de tal burocracia na […]

Leia Mais
Dique de Mauá
Política

Bombeiros usam sacos de areia de improviso para impedir inundação no RS

Em um vídeo que está circulando na internet, uma equipe de bombeiros usa sacos de areia como improviso para impedir que um determinado lugar no Rio Grande do Sul fosse inundado. Um perfil popular no X chamado Peregrino publicou o vídeo e fez uma comparação com diques construídos por holandeses há mais de 100 anos. […]

Leia Mais
Exército Brasileiro
Política

Exército Brasileiro estabelece diretrizes contra comentários “negativos” em suas redes sociais

Com o aumento das críticas de muitos brasileiros contra o Exército, que cada vez mais o percebem como apenas mais um braço do estado que os oprime, a entidade resolveu implementar diretrizes contra comentários considerados “negativos”. Entre os tipos de comentários considerados negativos, estariam aqueles que: O Exército Brasileiro ainda informa que quem violar tais […]

Leia Mais