sábado, dezembro 3, 2022

PT pretende estourar o teto de gastos para manter Bolsa Família de R$ 600,00

Agora que foi eleito, o atual Parasita-Mor, Lula (o 9 Dedos) precisa garantir uma das bases que sempre o mantiveram no governo: o Bolsa Esmola Bolsa Família. E pelo visto para garantir isso de modo que o bolso dele e de seus aliados não seja atingido, terá que estourar o teto de gastos.

“Sinto muito, teremos que arrebentar o teto de gastos”

Geraldo Alckmin, atual Vice Parasita-Mor, e o relator do Orçamento Secreto, Marcelo Castro, se reuniram na última quinta-feira para discutir sobre orçamento do atual governo Lula. De acordo com eles, Lula irá tentar negociar com o Congresso (sim, vocês sabem do que tô falando 💵) uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para garantir o pagamento do Bolsa Família no valor de R$ 600 no próximo ano.

“Chegamos a um acordo: não cabe no orçamento atual as demandas que precisamos atender. Então, de comum acordo, decidimos levar aos líderes partidários, aos presidentes da Câmara e do Senado a ideia de aprovarmos uma PEC em caráter emergencial, excepcionalizando do teto de gastos despesas que são inadiáveis”

afirmou Marcelo Castro, relator do Orçamento Secreto

“Uma PEC em caráter emergencial, excepcionalizando do teto de gastos despesas que são inadiáveis” – acho que não precisa dizer mais nada, não é? Traduzindo: irão estourar o teto de gastos para que um dos carros-chefe da presidência de Lula – Bolsa Família – seja garantido sem comprometer suas regalias.

Quando questionado se a PEC iria liberar do teto de gastos o valor de R$ 200 milhões, Alckmin afirmou que “não se discutiu nenhum valor”. Ele ressaltou que a reunião “foi muito proveitosa” e que “tudo tem que ser muito rápido”. “Tudo tem que ser muito rápido”. Ou seja: eles precisam aproveitar e já tirar proveito da oportunidade do Orçamento Secreto, ops, Emendas do Relator, antes que alguém suspeite para onde vai a maioria deste dinheiro (seu dinheiro).

Nem só de Bolsa Família vive o governo Lula

O relator afirma que além do Bolsa Família, uma das prioridades do orçamento seria repor a verba para a parte de infraestrutura e obras públicas. Superfaturamento em obras públicas, aqui vamos nós! O relator afirmou que R$ 6,7 bilhões é “insuficiente” até para manutenção da malha rodoviárias.

Com “insuficiente”, ele quis dizer que não dá fazer as reformas públicas porcamente, claro) e sobrar um dinheirinho (vocês sabem pra quem).

Os interlocutores e participantes da reunião afirmaram que o orçamento também dera destinado para a manutenção do Auxílio Brasil (que agora vai baixar para R$ 400) e aumento do salário mínimo. Também há a pretensão de repor os cortes de verbas realizados na gestão anterior (prepare teu bolso pro custo que vem aí).

Além de tudo isso, foram citados os orçamentos da Farmácia Popular, verbas para combate ao câncer, além de merendas (o Alckmin adorou essa!) e transporte escolar. No entanto, quando questionado pela CNN Brasil sobre alteração do piso do Imposto de Renda para R$ 5 mil, os participantes da reunião afirmaram que ” não chegou a ser discutida”.

Ou seja: a isenção de Imposto de Renda para rendas abaixo de R$ 5 mil era pura conversa de campanha. Afinal, com toda essa gastança, tributação apenas acima de R$ 5 mil em um país onde a renda média é menor que R$ 3 mil não é viável.

Advinha quem vai pagar tudo isso

Você que ganha R$ 5 mil e votou no Lula achando que ficaria isento de pagar a IR, sinto muito. O 9 Dedos te fez de trouxa! Vai pagar até o que não vai usar!

Mas se você quiser se juntar a nós nessa empreitada de recuperar a autonomia sobre nosso dinheiro, suba conosco a tag #Nem1RealProLula retuitando este tweet, e incentive mais pessoas a não deixar um mísero real para este parasita e toda sua corja!

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA