Receita Federal usa inteligência artificial para monitorar transações com criptomoedas

Receita Federal monitorando transações de criptomoedas com Inteligência Artificial

A Receita Federal informou que está usando Inteligência Artificial para monitorar as transações com criptomoedas. A RF informou que possui um completo sistema de análise para monitorar o mercado de criptomoedas, podendo detectar transações consideradas “suspeitas”. Segundo o órgão, com tais ferramentas é possível acompanhar onde as transações estão sendo realizadas.

“COM ESSES SISTEMAS, É POSSÍVEL ACOMPANHAR, POR EXEMPLO, ONDE ESTÃO SENDO REALIZADAS AS NEGOCIAÇÕES, CONFORME EXEMPLO DO MAPA A SEGUIR QUE APONTA, INCLUSIVE AS LOCALIZAÇÕES DAS PESSOAS FÍSICAS QUE COMPRAM E VENDEM CRIPTOMOEDAS.”

A RF também informou que já está usando técnicas modernas de processamento de dados, inteligência artificial e análise de redes complexas. “Essa ferramenta acaba de ganhar nova funcionalidade desenvolvida para representar relacionamentos entre operadores, o que deve facilitar uma análise na busca de irregularidades tributárias”, finaliza o texto.

Em suas redes sociais, a RF publicou um vídeo com mais detalhes sobre o comportamento dos investidores de criptomoedas brasileiros, assim como também sobre suas ferramentas de análise.

Bitcoin sendo superado pelas stablecoins?

Em meio ao monitoramento das movimentações de criptomoedas, a RF identificou uma mudança no perfil dos investidores de criptomoedas brasileiros. Em um relatório publicado na quarta-feira (25), a RF informou que as stablecoins estão se popularizando a ponto de superar a adesão ao Bitcoin, principal criptomoeda do mundo.

A RF informa que apesar do Bitcoin ter sido dominante até meados de 2022, seu posto foi perdido para as stablecoins, principalmente a Tether (USDT). De acordo com os dados mais recentes, o volume de negociações de USDT já é quase o dobro do volume de BTC.

Uma vez que a USDT é pareada ao dólar americano, enquanto o lastro deste é garantido majoritariamente por títulos do Tesouro americano, a stablecoin se tornou uma maneira fácil de obter exposição à economia dos EUA. E isso preocupa a RF, já que essa mudança pode ter “implicações significativas no cenário tributário e regulatório das criptomoedas no país.”

A Receita Federal também cita o Fórum Econômico Mundial, que alerta que stablecoins podem oferecer riscos maiores do que criptomoedas voláteis como o Bitcoin. O FEM teme que elas possam ser uma ameaça ao Real por terem uma maior aceitação no comércio. Basicamente, o receio da FEM e da RF é que os investidores de criptomoedas possam escapar do fisco brasileiro.

Também importante salientar que a informação do FEM está desatualizado, já que o Bitcoin está cada vez menos volátil.

Moda passageira?

Apesar da preocupação da RF, o mais provável é que a popularização das stablecoins seja apenas mais uma moda passageira na comunidade cripto. Assim como outros ativos meramente especulativos que tiveram um boom seguido de uma drástica queda, o mesmo ocorrerá também com as stablecoins. Enquanto isso, o Bitcoin segue como a mais bem sucedida criptomoeda e com ascensão constante à longo prazo.

Investidores cripto precisam se preocupar com a IA?

A RF está investindo fortemente nas ferramentas baseadas em IA para monitorar transações de criptomoedas no Brasil e garantir que nada escape ao fisco. No entanto, tal monitoramento é apenas possível graças ao fornecimento de dados dos investidores de criptomoedas por parte das exchanges. Aqueles que transacionam de forma anônima, fazendo uso do método P2P, DEX e wallets com privacidade reforçada, e que não fazem uso de nenhuma exchange, não precisam se preocupar em ser alvos de tal monitoramento.

https://youtu.be/BsZZdo4fO10?si=3bxrK2m7FEhpYfkJ

Neste momento a máxima tão falada no meio cripto “exchange não é carteira”, deve sempre ser lembrada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lula imposto sobre o Bitcoin
Criptomoedas

Governo Lula quer aumentar para 22,5% os impostos para todos os usuários de Bitcoin no Brasil

O governo Lula anunciou que pretende aumentar os impostos para todos os usuários de criptomoedas em até 22,5%. Segundo o governo, a proposta não é criar um novo imposto, mas aumentar ainda mais as taxas para os usuários que possuem criptoativos. A ideia é ‘fechar o cerco’ com àqueles que estão usando criptoativos para driblar […]

Leia Mais
Halving do Bitcoin
Criptomoedas

O halving do Bitcoin está cada vez mais próximo, com menos de 2.900 blocos restantes

No momento, restam menos de 2.900 blocos até o próximo halving do Bitcoin. Para compreender o conceito de halving, é bom entender primeiro como surgem os novos bitcoins, principalmente por meio do processo de mineração de bitcoins. Isso envolve entidades, conhecidas como mineradores, que validam blocos repletos de transações que aguardam confirmação. Em sua busca […]

Leia Mais
União Europeia ALM Criptomoedas
Criptomoedas

Novas leis contra lavagem dinheiro da UE visam transações em criptomoedas

Como parte das novas leis contra lavagem de dinheiro, o Parlamento da União Europeia proibiu carteiras de criptografia de autocustódia não identificadas para transações na região. A proibição tem como alvo as transações anônimas em dinheiro que excedam € 3.000 e as carteiras de auto-custódia em várias plataformas. Em uma publicação recente nas redes sociais, […]

Leia Mais