Telegram firma acordo com TSE no combate às “fake news”

Telegram firma acordo com TSE no combate às "fake news"

Uma parceria firmada entre o Telegram e o TSE para combater as “fake news”, pode indicar que o mensageiro já não será mais um ambiente que garante a liberdade de expressão para os usuários. Essa atitude do mensageiro pode indicar uma parceria cada vez maior com o estado, o que o tornaria uma opção menos atraente para aqueles que prezam pela liberdade.

Parceria entre Telegram e TSE para combater “fake news”

Nesta terça feira (22), o Telegram e o TSE firmaram um acordo de parceria no combate às “fake news”, principalmente informações que coloquem em dúvida a “integridade” do processo eleitoral.

O TSE também terá agora um canal extrajudicial no Telegram, onde os conteúdos julgados pelo órgão como “ameaças contra a democracia” serão denunciados. Além disso, usuários e canais que persistirem na divulgação deste tipo de conteúdo, também estarão sujeitos à exclusão.

A informação foi principalmente divulgada no site oficial do TSE e também no canal oficial do Telegram. Segue abaixo a nota do site:

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Telegram celebraram, nesta segunda-feira (16), acordo de colaboração mútua para enfrentamento da desinformação. O TSE é o primeiro órgão eleitoral no mundo a assinar um acordo com a plataforma que envolve cooperação e ações concretas.

De acordo com o documento, que deve vigorar até 31 de dezembro de 2022, a parceria envolve a criação de um canal oficial do TSE na plataforma para divulgar informações oficiais sobre as eleições, suporte da equipe técnica do Telegram para o desenvolvimento de um robô para tirar dúvidas dos usuários sobre as eleições, bem como o desenvolvimento de uma nova funcionalidade na plataforma para marcação de conteúdos desinformativos.

Além de apoio técnico e inovações no produto para enfrentar a desinformação, a plataforma se comprometeu a apoiar o TSE na divulgação do canal para todos os usuários do Telegram no país.

Também será disponibilizado um canal extrajudicial para que o TSE realize denúncias na plataforma. Quando houver denúncias, o Telegram conduzirá investigação interna para verificar se os canais indicados violaram os termos de serviço e políticas da plataforma.

O Tribunal se compromete também a fornecer informações e relatórios sobre o desenvolvimento das eleições que possam ser importantes para que o Telegram desenvolva políticas internas e melhores práticas.

Para ler o memorando completo, clique aqui

O quê esperar do Telegram de agora em diante?

Como ficou claro na divulgação do TSE sobre a parceria com o Telegram, qualquer conteúdo julgado como “fake news” será excluído. E não apenas isso! Qualquer conteúdo que questione a integridade do processo eleitoral também será excluído, bem como o perfil ou canal que insista em divulgar este conteúdo, também estará sujeito a exclusão.

Já publicamos um artigo onde mostramos que essa preocupação do TSE é bastante questionável (você pode conferir o artigo clicando aqui).

Conclusão

O Telegram vem se mostrando cada vez mais uma alternativa pouco atrativa para os amantes da liberdade. Opções open source, criptografadas de ponta a ponta, como a rede Matrix, por exemplo (em breve faremos um pequeno guia sobre ela) se mostram uma melhor opção para aqueles que querem fugir do controle estatal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Emchentes no Rio Grande do Sul
Política

Municípios atingidos pelas inundações no RS enfrentam burocracia para receber ajuda do governo federal

Em um artigo da CNN, diversas entidades municipais informaram que estão enfrentando uma enorme burocracia para receber verbas do governo federal para lidar com os impactos das inundações no Rio Grande do Sul. A informação contrasta com a acusação por parte da grande mídia e agentes públicos, de que a afirmação de tal burocracia na […]

Leia Mais
Dique de Mauá
Política

Bombeiros usam sacos de areia de improviso para impedir inundação no RS

Em um vídeo que está circulando na internet, uma equipe de bombeiros usa sacos de areia como improviso para impedir que um determinado lugar no Rio Grande do Sul fosse inundado. Um perfil popular no X chamado Peregrino publicou o vídeo e fez uma comparação com diques construídos por holandeses há mais de 100 anos. […]

Leia Mais
Exército Brasileiro
Política

Exército Brasileiro estabelece diretrizes contra comentários “negativos” em suas redes sociais

Com o aumento das críticas de muitos brasileiros contra o Exército, que cada vez mais o percebem como apenas mais um braço do estado que os oprime, a entidade resolveu implementar diretrizes contra comentários considerados “negativos”. Entre os tipos de comentários considerados negativos, estariam aqueles que: O Exército Brasileiro ainda informa que quem violar tais […]

Leia Mais