A The Bitcoin Company lança API para pagamentos transfronteiriços entre o Brasil e o México

The Bitcoin Company

A The Bitcoin Company revelou sua nova API de remessas, permitindo que indivíduos e instituições financeiras enviem pagamentos instantâneos para qualquer conta bancária no México e no Brasil em menos de um segundo, de acordo com um comunicado à imprensa enviado à Bitcoin Magazine. Essa API marca a expansão da empresa para remessas internacionais, com planos de estender os serviços para os EUA, Canadá, Europa, Ásia e África em breve.

“A ruptura do mercado de remessas é um marco importante em nosso roteiro para fornecer serviços financeiros nativos do Bitcoin fáceis de usar e sempre foi um aplicativo atraente para a rede Bitcoin”, disse Ben Price, fundador e CEO da The Bitcoin Company. Com o Bitcoin, os pagamentos podem ser baratos, instantâneos, inclusivos e globais.”

(Leia também: Conheça a plataforma SpikeToSpike: a maneira mais anônima de se comprar Bitcoin)

Ao aproveitar a rede Bitcoin, a API de remessas da The Bitcoin Company oferece uma alternativa econômica aos trilhos bancários tradicionais, como o SWIFT, reduzindo significativamente os custos de remessas internacionais. A API se comunica com as redes de pagamento locais no México (SPEI) e no Brasil (Pix), garantindo que os fundos sejam depositados instantaneamente nas contas bancárias dos destinatários.

O mercado de remessas no México e no Brasil tem se apoiado historicamente em serviços caros como Western Union e MoneyGram, que cobram altas taxas. De acordo com o Banco Mundial, os pagamentos de remessas para o México e o Brasil custam 3,01% e 4,59%, respectivamente, com um custo médio de remessa internacional de 6,18%. A API da The Bitcoin Company perturba esse cenário ao fornecer pagamentos internacionais de baixo custo, instantâneos e 24 horas por dia, 7 dias por semana.

“Os pagamentos internacionais, tal como existem hoje, estão quebrados”, continuou Price. “Os provedores de remessas tradicionais, como a Western Union, estão se aproveitando das populações mais desesperadas do mundo, cobrando taxas exorbitantes para enviar/receber dinheiro. Os pagamentos internacionais agora são triviais com nossa nova API de remessas que aproveita a rede Bitcoin. Nossos planos incluem a expansão para mais regiões e moedas para atender a pagamentos de empresas e consumidores. Estamos muito felizes em ajudar a permitir que outros desenvolvedores ativem pagamentos instantâneos, transfronteiriços e de baixo custo em seus aplicativos com uma simples integração de API.”

Esse lançamento está alinhado com a visão da The Bitcoin Company de fornecer serviços financeiros nativos do Bitcoin e fáceis de usar, além de criar uma infraestrutura amigável ao desenvolvedor que conecte o Bitcoin a sistemas financeiros legados. Mais informações sobre a API Remittance podem ser encontradas aqui.

Artigo escrito por Nik Hoffman, publicado no Bitcoin Magazine e traduzido e adaptado por Rodrigo

Opnião: Por mais que um pagamento em Bitcoin integrado ao sistema bancário regulado e monitorado pelo estado esteja longe do ideal, essa iniciativa do The Bitcoin Company mostra como o Bitcoin é superior aos métodos de transações bancárias internacionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lula imposto sobre o Bitcoin
Criptomoedas

Governo Lula quer aumentar para 22,5% os impostos para todos os usuários de Bitcoin no Brasil

O governo Lula anunciou que pretende aumentar os impostos para todos os usuários de criptomoedas em até 22,5%. Segundo o governo, a proposta não é criar um novo imposto, mas aumentar ainda mais as taxas para os usuários que possuem criptoativos. A ideia é ‘fechar o cerco’ com àqueles que estão usando criptoativos para driblar […]

Leia Mais
Halving do Bitcoin
Criptomoedas

O halving do Bitcoin está cada vez mais próximo, com menos de 2.900 blocos restantes

No momento, restam menos de 2.900 blocos até o próximo halving do Bitcoin. Para compreender o conceito de halving, é bom entender primeiro como surgem os novos bitcoins, principalmente por meio do processo de mineração de bitcoins. Isso envolve entidades, conhecidas como mineradores, que validam blocos repletos de transações que aguardam confirmação. Em sua busca […]

Leia Mais
União Europeia ALM Criptomoedas
Criptomoedas

Novas leis contra lavagem dinheiro da UE visam transações em criptomoedas

Como parte das novas leis contra lavagem de dinheiro, o Parlamento da União Europeia proibiu carteiras de criptografia de autocustódia não identificadas para transações na região. A proibição tem como alvo as transações anônimas em dinheiro que excedam € 3.000 e as carteiras de auto-custódia em várias plataformas. Em uma publicação recente nas redes sociais, […]

Leia Mais