Caixa Econômica suspende cobrança de taxa do Pix

Cobrança da taxa de Pix pela Caixa

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Após anunciar a cobrança da taxa sobre o Pix, a Caixa Econômica Federal resolveu adiar a cobrança após pedido do presidente Lula. Em entrevista ao G1, a Caixa afirmou que preferiu suspender a cobrança para que os clientes pudessem se adaptar à regra.

“A medida visa ampliar o prazo para que os clientes possam se adequar e receber amplo esclarecimento do banco sobre o assunto, dada a proliferação de conteúdos inverídicos que geraram especulação. A decisão da Caixa de cobrar pelo serviço estava definida desde o ano passado e não foi executada devido à necessidade de adequação dos sistemas internos”

afirmou a Caixa em nota

A medida estava prevista para o dia 19 de julho. A Caixa afirma que a cobrança não afetará pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEIs), que continuam isentos de taxas. Apenas pessoas jurídicas seriam cobradas.

A Caixa também alega que todos os demais bancos já cobram taxa sobre transferência PIX de contas de pessoas jurídicas. Ela afirma que a “prática de cobrança da tarifa Pessoa Jurídica foi autorizada pelo Arranjo PIX, em conformidade com a Resolução Nº 30/2020 do Banco Central do Brasil, de 22 e outubro de 2020, e é realizada por praticamente todas as instituições financeiras desde sua implementação”.

A cobrança da taxa sobre o Pix

A possibilidade da cobrança de uma taxa sobre o Pix causou a devida indignação por parte do público. Óbvio, como a Caixa informou, apenas as pessoas jurídicas serão taxadas e os bancos privados e o Banco do Brasil já cobram essa taxa.

No entanto, é falacioso afirmar que essa transação não terá nenhum impacto além das empresas taxadas. Isso irá impactar nos custos destas empresas e na oferta dos produtos e serviços, o que poderá também afetar seus preços. principalmente pelo fato de boa parte das transações comerciais serem via Pix.

Também é verdade que um tipo de transação digital é instantânea como o Pix poderia existir em uma economia livre e seria legítimo os bancos cobrarem por essa taxa. Mas não é este o caso.

O Pix é um mecanismo de rastreamento das transações dos brasileiros que visa monitorar todas as suas movimentações financeiras. A possibilidade de transacionar de forma instantânea é apenas a isca para isso.

Uma resposta para “Caixa Econômica suspende cobrança de taxa do Pix”

  1. Avatar de Alexandre
    Alexandre

    Lula mandando em banco. Qual a novidade?

    Os bancos digitais, Nubank, Inter e outros, nunca cobraram TED ou DOC. Uma opção seria usar os serviços desses bancos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One thought on “Caixa Econômica suspende cobrança de taxa do Pix”

  1. Lula mandando em banco. Qual a novidade?

    Os bancos digitais, Nubank, Inter e outros, nunca cobraram TED ou DOC. Uma opção seria usar os serviços desses bancos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tomate
Economia

Saboreie o gosto da Independência, cultive-a você mesmo!

Cultivar os seus próprios tomates pode ser muito mais gratificante do que o doce sabor da sua colheita. Os benefícios adicionais tradicionais fazem com que muitos de nós regressem estação após estação. Se é um jardineiro, conhece a grande sensação de agir diretamente sobre a natureza para produzir os alimentos que come. Cultivar tomates leva-o […]

Leia Mais
MP da tarifa de luz
Economia

Segundo ex-diretor da Aneel, MP assinada por Lula para baixar a conta de energia terá efeito contrário

Segundo Edvaldo Santana, ex-diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica, a medida provisória para baixar o valor da conta de luz, assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na terça-feira (9), tem dispositivos que levarão ao efeito contrário. Segundo Edvaldo Santana e outros especialistas, haverá um aumento da tarifa para os consumidores. A MP […]

Leia Mais
Liga Hanseática
Economia

A Liga Hanseática: Um “Império” do Comércio

Era uma vez um fenômeno medieval do norte, tão sujeito a mitos universais e curiosidade quanto o das encantadoras cidades-república florescentes do sul: a Liga Hanseática dos séculos XIII ao XVI. “O Hansa” (alemão antigo para “associações”) ou “A Liga”, como era conhecido, começou como um tratado entre Lübeck e Hamburgo “para limpar a estrada […]

Leia Mais