Dados da Blockchain.com mostram que a taxa de hash da rede Bitcoin – a capacidade de computação necessária para proteger a rede – superou 62 quintilhões de hashes por segundo (62 milhões de terabyte hashes por segundo – TH/s) na última sexta-feira.

Este valor representa o maior valor já registrado na rede, com o recorde anterior sendo de 61,9 milhões de TH/s no final de agosto de 2018.

A rede que alcança uma nova taxa de hash está em consonância com a tendência observada no início de 2019, com um constante aumento dos números ao longo de cada período médio de 7 dias.

Mais nós de mineração estão ativos na rede, criando maior segurança, reduzindo a possibilidade de ataques maliciosos na blockchain.

A taxa de hash da rede é apenas um dos muitos fundamentos básicos que atualmente estão desfrutando de tendências de crescimento positivas. Os endereços diários ativos do Bitcoin estão de volta acima de 1 milhão.

O aumento diário não parece ter impactado materialmente as taxas de transações, já que a taxa média de transação está em torno de US$ 1,33. O uso de carteiras com números de cálculo de taxas robustas ainda fornece taxas muito menores.

Enquanto a taxa de hash da rede estava estabelecendo uma nova alta, o preço do Bitcoin foi em outro ataque no nível de preço de US$ 9.000. O Bitcoin atravessou temporariamente $9.300 estabelecendo uma nova alta no período de um ano para a criptomoeda.

Como apontado por Mati Greenspan, analista sênior de mercado da eToro, os fundamentos da rede são os melhores indicadores dos movimentos de preços do BTC. E fiel à forma, esse último aumento de preço também aconteceu quando a atividade de rede atingiu novos recordes.

Atualmente, o Bitcoin está fora do preço que estava em sua taxa de hash recorde anterior quando o BTC estava sendo negociado a US$ 6.700. No total, o Bitcoin subiu quase 150% desde o início de 2019 e agora adicionou mais que o dobro do preço de mercado desde o início de abril.

Fonte: Bitcoinist