Não, não devemos atacar a Rússia e iniciar a Terceira Guerra Mundial

Guerra russia ucrania tanques

A injustificada guerra do presidente Vladimir Putin contra a Ucrânia provocou o desprezo apropriado de grande parte do Ocidente, com os poderes americanos e europeus impondo sanções punitivas contra os invasores russos. Muitos estão inspirados pelo povo ucraniano defendendo sua pátria – e a “honra” ¹ do Presidente Volodymyr Zelensky – e desejam que possamos fazer ainda mais por eles.

De fato, o correspondente da NBC News Richard Engel, observando as forças russas marchando sobre Kyiv, contemplou se os EUA deveriam atacar diretamente o comboio russo.

“Talvez este seja o maior dilema de cálculo de risco/moral da guerra até agora. Um enorme comboio russo está a 30 milhas de Kyiv. Os EUA/NATO poderiam provavelmente destruí-lo. Mas isso seria um envolvimento direto contra a Rússia e arriscar tudo. Será que o Ocidente observa em silêncio enquanto tudo acontece?”

Deveria ser óbvio: Esta é uma péssima idéia. O risco é muito grande.

Primeiro, os Estados Unidos não pode atacar a Rússia porque o Congresso ainda não declarou guerra ao país. E não se enganem, um ataque direto às forças russas, seja pelo EUA ou pela OTAN, seria um ato de guerra. Isso traria duas das superpotências mundiais em conflito direto pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial. O risco de um ataque nuclear, de ambos os lados, aumentaria dramaticamente. De fato, condições favoráveis para uma guerra nuclear total seriam, pela primeira vez na história mundial, finalmente alcançadas.

A situação dos ucranianos é trágica. Por mais que gostássemos de ajudá-los militarmente, os EUA não podem empreender um curso de ação com uma probabilidade significativa de causar aniquilação nuclear. Embora fosse gratificante punir Putin por tentar recuperar o império soviético, o comportamento malicioso de um mau agente não é desculpa para imprudência por parte dos EUA. Apesar da sugestão de Engel de que a situação apresenta um “dilema moral”, não há nenhum dilema aqui para falar: A guerra entre as potências nucleares não é uma opção.

O mesmo vale para as ideias de estabelecer uma “zona de exclusão aérea” sobre a Ucrânia. Uma zona de interdição de voo não é uma barreira mágica de proteção – os Estados Unidos teriam que reforçá-la, derrubando aviões russos. A força aérea russa é relativamente poderosa, portanto isto não seria um feito fácil. Mas, em todo caso, ainda equivaleria a uma guerra com a Rússia. Os Estados Unidos devem, portanto, rejeitar o pedido de Zelensky sobre uma zona de interdição de voo. A administração Biden tem até agora sabiamente indicado que tal atitude está fora de questão.

¹ Nós do Gazeta lamentamos o uso dessas expressões. Não concordamos que o presidente é honrável. Confira esse artigo, uma crítica sobre Zelensky e à Ucrânia.

Texto por ROBBY SOAVE | 2.28.2022 5:00 PM | Traduzido e adaptado por Gazeta Libertária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Greve das universidades federais
Política

Greve das Universidades Federais mantém tensão entre professores e o Governo Lula

A greve de universidades federais no país, que já dura quase dois meses, segue ativa, mantendo a tensão entre os professores federais e o Governo Lula. Por um lado, professores em greve afirmam que continuarão com a greve até receberem aumentos salariais. O governo, por sua vez, afirma que não há mais espaço no orçamento […]

Leia Mais
Macron
Política

Macron dissolve parlamento e convoca eleições legislativas antecipadas na França

No último domingo (9), o presidente da França, Emmanuel Macron, dissolveu o parlamento do país, a Assembleia Nacional, e convocou eleições legislativas antecipadas. A decisão do presidente francês foi tomada após uma pesquisa de boca de urna que mostrou que seu partido, Renascimento, seria derrotado pelo partido de oposição, União Nacional (RN), nas eleições parlamentares. […]

Leia Mais
Jorge Seif
Política

Senador Jorge Seif admite que defende imposto sobre importações porque paga o seu salário

O senador Jorge Seif (PL-SC), que se diz liberal, votou sim pela em 20% das compras internacionais até 50 dólares, que foi aprovada na última quarta-feira, 5, a taxação. O senador justificou seu voto, admitindo que tal imposto paga seu salário. O senador ainda recorreu às velhas falácias protecionistas e estatistas em defesa dos impostos […]

Leia Mais