quarta-feira, setembro 28, 2022

Atualizações sobre a guerra entre Rússia e Ucrânia

Nessa página você encontra todas as atualizações sobre a invasão da Rússia à Ucrânia. Estaremos atualizando esse conteúdo frequentemente ao longo dos dias, salve para ficar por dentro.

18:30 (BRT): Para a Rússia, uma terceira guerra mundial seria nuclear e destrutiva

Nesta quarta-feira (2) o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, afirmou à agência de notícias RIA, que caso acontecesse uma terceira guerra mundial armas nucleares seriam utilizadas e isso seria muito destrutivo. Lavrov ainda disse que a Rússia enfrentaria um perigo real caso a Ucrânia adquirisse armas nucleares.

09:30 (BRT): A União Europeia irá analisar seriamente o pedido de adesão da Ucrânia à UE e responder ao pedido de Kiev, disse o presidente dos líderes da UE, Charles Michel.

“Vai ser difícil, sabemos que há opiniões diferentes na Europa. O conselho (dos governos da UE) terá que olhar seriamente para o pedido simbólico, político e legítimo que foi feito e fazer a escolha adequada de forma determinada e lúcida.”, afirmou Michael.

Enquanto isso, o ministro das Relações Exteriores da Hungria, Peter Szijjarto, disse que a Hungria está apoiando uma iniciativa de oito líderes da União Europeia para iniciar negociações de adesão com a Ucrânia. A informação veio do jornal The Guardian.

Um comboio militar ao longo de uma estrada, ao norte de Ivankiv, Ucrânia. Fotografia: MaxarTech/AFP/Getty Images. Fonte: The Guardian

Atualização 22:00 (BRT): Tribunal de Haia irá investigar Rússia por crimes de guerra

O Tribunal Penal Internacional, em Haia – responsável por julgar crimes de guerra e contra a humanidade – decidiu nesta segunda-feira (28) que irá investigar a invasão da Ucrânia pela Rússia “o mais rápido possível”.

Estou convencido de que há uma base razoável para acreditar que tanto os supostos crimes de guerra quanto os crimes contra a humanidade foram cometidos na Ucrâniadisse Karim Khan, procurador da HAIA.

Zelenskiy irá liberar prisioneiros ucranianos para ajudar no conflito com a Rússia

O presidente fez o anúncio após a reunião entre os embaixadores da Rússia e da Ucrânia

O presidente Volodymyr Zelenskyy disse que os prisioneiros que tiverem experiência real de combate serão libertados da prisão e poderão “compensar sua culpa nos pontos mais quentes da guerra”.

Ele fez o anúncio quando embaixadores da Ucrânia e da Rússia se reuniram em Belarus para conversações de paz.

A informação foi publicada pela ABC News

07:00 (BRT): Negociações entre Ucrânia e Rússia começam

19:00 (BRT): A reunião terminou sem acordo entre os países e as tropas russas continuam a atacar, informou a Tass, agência de notícias russa.

As negociações entre a Ucrânia e a Rússia começaram na fronteira com a Bielorrússia na manhã dessa segunda-feira. A Ucrânia concordou em conversar com a Rússia “sem pré-condições”, disse o gabinete do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

A reunião será em Belarus. Ao mesmo tempo, as forças russas invasoras encontraram resistência determinada de tropas e civis ucranianos no 5º dia de conflito. A Rússia enfrenta isolamento e sanções cada vez maior, levando a uma grande turbulência econômica. Mas será suficiente?

Novas imagens do conflito

  • Dezenas de pessoas foram mortas e centenas ficaram feridas em ataques com foguetes das forças russas na cidade ucraniana de Kharkiv, informou o Ministério do Interior ucraniano.

09:00 (BRT): Vários sites russos exibem mensagem anti-Putin após hack

Sites de vários meios de comunicação russos foram invadidos nessa segunda-feira, mostraram fontes da Reuters, com seus sites regulares substituídos por uma mensagem antiguerra e pedidos para parar a invasão da Ucrânia.

“Caros cidadãos. Pedimos que parem com essa loucura, não mandem seus filhos e maridos para a morte certa”, dizia a mensagem. “Putin está nos forçando a mentir e nos colocando em perigo.”

O site da agência de notícias estatal russa, TASS, juntamente com os sites de notícias rbc.ru, kommersant.ru, fontanka.ru e iz.ru, sofreram interrupções, com vários deles exibindo essa mensagem.

Atualização 15:50 (BRT): civis russos são presos por protestar contra a guerra na Ucrânia

Policiais detêm uma mulher durante um protesto contra a invasão da Ucrânia pela Rússia no centro de Moscou no domingo. Fotografia: Alexander Nemenov/AFP/Getty Images

A polícia russa deteve mais de 900 pessoas em protestos contra a guerra em 44 cidades russas no domingo, disse o grupo independente de monitoramento de protestos OVD-Info.

Isso significa que mais de 4.000 manifestantes foram presos desde a invasão, ressaltando a repressão do Kremlin à dissidência.

Alguns dos protestos de domingo estão ligados ao aniversário do assassinato do crítico de Putin, Boris Nemtsov , há sete anos.

Enquanto isso, tem havido filas em caixas eletrônicos em Moscou enquanto as pessoas respondem às sanções ocidentais do Swift.

Atualização 12:30 (BRT): Putin coloca forças nucleares em alerta

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que o comando militar colocasse as armas nucleares em posição de alerta elevado nesse domingo. Os Estados Unidos responderam dizendo que Putin estava intensificando a guerra de uma maneira “totalmente inaceitável”.

Atualização 22:30 (BRT): Entenda os motivos da invasão russa

Muitas dúvidas estão surgindo a respeito dos motivos para esse ataque. Frente ao excesso de informações vindas por todos os lados, organizamos os principais fatos a respeito do tema. Acesse aqui.

Mapa rastreando a invasão

reuters.com

Atualização 19:30 (BRT): Forças russas enfrentam ‘resistência determinada’ em direção a Kiev

O presidente Volodymyr Zelenskiy disse que Kiev continua sob controle ucraniano neste sábado, enquanto as forças russas renovam seu ataque, atacando a capital e outras cidades com artilharia e mísseis de cruzeiro.

“Nós resistimos e estamos repelindo com sucesso os ataques inimigos. A luta continua”, disse Zelenskiy em uma mensagem de vídeo das ruas de Kiev postada em sua mídia social.

Atualização 16:30 (BRT): Países começam seu apoio à Ucrânia

A Eslováquia entregará imediatamente para a Ucrânia: 12.000 munições de artilharia de 120mm, 10 milhões de litros de combustível, 2,4 milhões de litros de combustível de aviação, 2 sistemas de desminagem. Tudo isso custa em torno de 11 milhões de euros. O pronunciamento foi feito pelo Ministro da Defesa, Jaroslav Nad.

Após falar ao telefone com o presidente ucraniano, o primeiro-ministro da Alemanha, Olaf Scholz, anunciou o envio de armas antitaque e mísseis para a Ucrânia.

A Suíça, quebrando a sua longa tradição de neutralidade, decidiu impor sanções contra a Rússia, contra Putin e altas figuras do governo russo. É importante lembrar que nem nos tempos da 2ª GM a Suíça saiu da sua neutralidade para impor sanções.

Atualização 15:30 (BRT): Bélgica diz que enviou 300 soldados para a Romênia e metralhadoras para a Ucrânia

A Bélgica anunciou o envio imediato de 2.000 metralhadoras e 3.800 toneladas de combustível para auxiliar a Ucrânia. O primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, acrescentou que o governo de Bruxelas está analisando novos pedidos de ajuda do governo ucraniano.

“A Bélgica assume sua responsabilidade dentro da Resposta Rápida da OTAN, cujos elementos foram ativados ontem. Na fase atual, 300 soldados belgas serão despachados para a Romênia”, disse Alexander

Atualização 15:00 (BRT): Polônia envia apoio militar à Ucrânia

O Ministro da Defesa polonês enviou um comboio de munição para os ucranianos. O comunicado não informa o tipo, nem a quantidade dos artefatos. Esse é a primeira ajuda militar para a Ucrânia, reconhecida publicamente desde o início da invasão russa.

Atualização 08:00 (BRT): Presidente Ucraniano rejeita oferta americana de ser evacuado de Kiev

Volodymyr Zelenskiy rejeita a oferta de ser evacuado dizendo que ele precisa de armamento antitanques, não de uma “carona”. Ele afirmou também que espera que a Alemanha e a Hungria tenham coragem para apoiar a remoção da Rússia do sistema de pagamentos SWIFT, porque “nós temos a coragem de defender nosso país, de defender a Europa”.

Atualização 22:00 (BRT): Rússia vetou resolução da ONU que condena o ataque.

A Rússia faz parte do Conselho de Segurança da ONU, doce ironia. Essa resolução serviria para condenar a invasão da Ucrânia nesta sexta-feira (25). Eles foram o único país a votar contra, mas seu voto tem poder de veto. O Brasil se posicionou contra os russos, condenando o ataque da Rússia à Ucrânia.

Atualização 20:00 (BRT): Rússia ameaça Suécia e Finlândia de retaliação caso se juntem à Otan

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, fez um alerta a Suécia e Finlândia que, se tentarem entrar na Otan, enfrentarão “consequências militares e políticas prejudiciais”.

“Consideramos o compromisso do governo finlandês com uma política militar de não alinhamento como um fator importante para garantir a segurança e a estabilidade do norde da Europa”, disse a porta-voz.

Para ler a matéria completa clique aqui

Atualização 17:00 (BRT): União Européia anuncia congelamento de contas bens pessoais de Putin

A União Europeia (UE) anunciou nesta sexta-feira (25) que irá sancionar por meio de congelamento de ativos, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, pela ofensiva militar russa na Ucrânia.

Para ler a matéria completa clique aqui

Atualização 16:00 (BRT): Radiação aumenta em Chernobyl após tomada russa

A agência nuclear da Ucrânia advertiu hoje que a radiação na usina nuclear de Chernobyl havia excedido os níveis de controle após as tropas russas terem tomado o controle da área.

Especialistas da agência nuclear estadual disseram que a mudança é devido ao movimento de um grande número de máquinas militares pesadas levantando a camada superior do solo para o ar. Veja com detalhes aqui.

Atualização 15:00 (BRT): Putin pede para que exército ucraniano tome o poder do país

Vladimir Putin pediu nesta sexta-feira (25) ao exército ucraniano para “tomar o poder” em Kiev e derrubar o presidente Volodimir Zelensky e seu entorno, se referindo aos governantes ucranianos como “gangue de viciados em drogas e neonazistas, que se instalou em Kiev e está tomando todo o povo ucraniano como refém”.

“Tomem o poder em suas mãos. Acho que vai ser mais fácil negociar entre vocês e eu”

disse Putin ao exército ucraniano, em um discurso na televisão russa.

É peculiar Putin acusar o atual governo ucraniano, comandado pelo judeu Zelensky, de ser nazista, sem apresentar prova disso, apenas como uma justificativa de seus ataques. Como escreveu o G1, Putin tenta recorrer às memórias coletivas do terror espalhado por Adolf Hitler ao invadir a União Soviética, tentando caracterizar seus atos como uma tentativa de defesa.

Confira o vídeo do pronunciamento de Vladimir Putin.

Atualização 14:40 (BRT): Otan vai reforçar a presença de tropas no leste europeu

Os membros da Otan se reuniram hoje para discutir sobre a guerra na Ucrânia.

Mais cedo, a entidade divulgou em um comunicado conjunto que a decisão de Putin de atacar a Ucrânia “foi um terrível erro de estratégia”, de acordo com o G1. As nações do Ocidente afirmaram que irão reforçar a presença de suas tropas no lado leste da aliança. Vale lembrar que a Ucrânia não faz parte da Otan, logo, não haverá presença de tropas da organização no território ucraniano.

Atualização 11:30 (BRT): Kiev como principal alvo dos russos

“A cidade entrou na fase de defesa. Agora, em algumas áreas da capital, tiros e explosões serão ouvidos. Militares ucranianos neutralizam grupos de sabotagem russos. O inimigo já está em Kiev. Devemos manter a capital que o inimigo quer colocar de joelhos e destruir. Confira a matéria completa aqui.

A situação é complicada e tensa. Hoje o exército russo atacou Kiev. Depois das quatro da manhã, ataques com mísseis foram disparados contra áreas residenciais de Kiev. Fique dentro de casa ou em abrigos.”

  • De acordo com o chanceler da Rússia, os russos não têm a intenção de ocupar a Ucrânia, mas “libertar os ucranianos da opressão”.
  • Volodimir Zelensky afirma que a Rússia está atacando prédios residenciais em Kiev.
  • “Pedimos aos cidadãos que nos informem sobre as movimentações inimigas, que preparem coquetéis molotov e neutralizem o ocupante”, um pedido do Ministério da Defesa da Ucrânia.
  • O governo da Ucrânia também proibiu a saída de homens de 18 a 60 anos do país, por meio de uma lei marcial, em que as regras de funcionamento de um país são alteradas, deixando de lado as leis civis e colocando em vigor leis militares.

Atualização 10:40 (BRT): Mobilização das forças chechenas para reforçar a invasão russa

O jornalista do Guardian Neil Hauer compartilhou esta filmagem. Vídeo gravado em Grozny, a capital da Chechênia, mostrando milhares de soldados chechenos se preparando para embarcar em direção à Ucrânia, com intuito de reforçar a invasão russa.

Atualização 10:00 (BRT): Tropas russas tomam Kiev

Os russos conseguiram entrar na capital da Ucrânia, Kiev, em torno das 13h50 (horário local), segundo informações do The New York Times e do Sky News. Explosões marcam segundo dia de invasão russa.

  • Kiev entrou em fase defensiva, diz prefeito da cidade;
  • Os russos bloquearam a entrada de Kiev pelo oeste, segundo a agência russa Tass;
  • TV ucraniana transmite instruções de como fazer coquetel molotov;
  • Pelo menos 25 civis morreram em ataques aéreos, e esses são dados apenas da ONU.

Atualização 09:00 (BRT): Exército ucraniano afirma que enfrenta blindados russos ao norte de Kiev

Os conflitos ocorrem em Dymer e Ivankiv, situadas a 45 e 80 quilômetros ao norte de Kiev (capital), respectivamente.

Atualização 03:00 (BRT): Foto das consequências do bombardeio em Starobilsk, região de Luhansk.

Atualização 20:00 (BRT): Joe Biden anuncia novas sanções a Rússia

19:00 (BRT): Impactos do conflito entre a Ucrânia e Rússia no Comércio Internacional

Esse conflito afeta não só os países envolvidos, como também a Europa. Num mundo cada vez mais interconectado, somos propensos a avaliar primeiro as consequências militares e geopolíticas, mas existe toda uma cadeia de impactos que já podem ser previstas. Leia nossa análise e o que pode acontecer aqui.

Atualização 17:30 (BRT): Batalhas pesadas em Sumy, na Ucrânia

Atualização 17:00 (BRT): Número de mortos e feridos, apenas os dados oficiais. Provavelmente esses números são maiores.

Desde o início da invasão em grande escala em 24 de fevereiro, a Rússia matou 57 pessoas. Outros 169 ficaram feridos. Estes são os dados oficiais do Ministério da Saúde da Ucrânia.

15:50 (BRT): Líderes do G7 deixam mensagem de alerta à Rússia

A reunião dos líderes do G7 – grupo composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido – realizada nesta quinta-feira (24) terminou com uma dura mensagem em represália aos ataques da Rússia contra a Ucrânia.

“Putin reintroduziu a guerra no continente europeu, e isso o coloca do lado errado da história. Esse é um ataque completamente injustificado contra a Ucrânia”

disseram os líderes.

Atualização 15:30 (BRT): Grande presença policial no centro de Moscou para conter protestos.

Foi relatado que centenas de pessoas foram detidas por causa de um “protesto não autorizado” na capital russa – de acordo com um monitor independente. (AFP)

Manifestantes tomaram o centro de Moscou e outras cidades em resposta à invasão da Rússia na Ucrânia.

Protestos a favor da Ucrânia

Atualização 15:00 (BRT): Russos tomam a Usina de Chernobyl.

A assessoria do chefe do gabinete presidencial da Ucrânia Podoliak confirmou as informações sobre a captura da usina nuclear de Chernobyl: “Nosso controle sobre o local de Chernobyl foi perdido.”

Chernobyl, edifício incompleto do Reator 5 à distância à direita. O vídeo parece mostrar a área da estátua de Prometheus na fábrica principal de Chernobyl.

Atualização 15:00 (BRT): Aviões decolam do aeródromo de Baranavichy

É relatado que os aviões decolam do aeródromo de Baranavichy (região de Brest, Bielorrússia) com carga de combate e retornam sem ela. Ao mesmo tempo, as autoridades oficiais ainda negam a participação da Bielorrússia na agressão contra a Ucrânia.

Atualização 13:00 (BRT): A cidade de Kakhovka foi capturada pelas forças russas. A bandeira da Federação Russa foi levantada.

12:00 (BRT): Refugiados ucranianos chegam em Moldávia

Os primeiros ucranianos chegam em Moldávia, com mais de 4.000 cruzamentos hoje. O governo implantou centros de colocação temporária perto de Palanca e Ocnița. As nossas fronteiras estão abertas para os ucranianos que necessitem de trânsito ou permanência em segurança.

Atualização 11h30 (BRT): Soldados russos tomam Boryspil, o principal aeroporto de Kiev

10h40 (BRT): Os militares ucranianos estão lutando na direção de Sumy.

Os militares ucranianos estão lutando na direção de Sumy. Guardas de fronteiras, Forças Armadas e Guarda Nacional travaram uma batalha com os ocupantes russos nos arredores de Sumy. De acordo com informações disponíveis, a Rússia está realizando uma ofensiva da cidade de Konotop.

5h00 (BRT): Rússia anuncia invasão da Ucrânia. Ações não se restringem às regiões separatistas

Na madrugada do dia 24/02, horário de Brasília, a Rússia invadiu Ucrânia; explosões, mortes e destruição estão sendo registradas a todo momento.

“Quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história”, disse Vladimir Putin. Entenda mais aqui.

APOIE GAZETA LIBERTÁRIA

Contamos com a generosidade de nossos doadores para tornar tudo isso possível. Desejamos publicar nosso conteúdo diariamente para todos, semeando o libertarianismo. Apoie nosso grupo de escritores. 

CONTRIBUIR

spot_img

CONFIRA