Quase 400 empresas cripto encerram atividades na Estônia após reforço na legislação AML

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Escrito por Henrique Tancredo

A Estônia intensificou a fiscalização de provedores de serviços de ativos virtuais (VASPs) no país, resultando no fechamento voluntário de quase 200 empresas de criptomoedas após a entrada em vigor das leis atualizadas de Prevenção ao Financiamento do Terrorismo e Anti-Lavagem de Dinheiro (AML) em março. Além disso, outras 189 empresas tiveram suas autorizações revogadas por não cumprirem as exigências. Ao todo, cerca de 400 empresas de criptomoedas foram fechadas ou perderam suas autorizações desde a implementação das novas leis.

As leis atualizadas ampliaram o escopo definido dos VASPs, exigiram vínculos legítimos das empresas com a Estônia, aumentaram taxas de licenciamento e requisitos de informações e capital, além de introduzirem a Regra de Viagem do Grupo de Ação Financeira. A Unidade de Inteligência Financeira (FIU) da Estônia informou que, a partir de 1º de maio, havia 100 empresas de criptomoedas ativas registradas no país.

A FIU destacou vários problemas encontrados nas empresas que foram fechadas, principalmente relacionados a informações enganosas das companhias. Algumas empresas tinham membros do conselho e contatos registrados sem o conhecimento dos próprios indivíduos, enquanto outras possuíam pessoas com antecedentes profissionais falsificados. Muitas empresas também apresentavam planos de negócios idênticos copiados uns dos outros, sem lógica ou conexão com a Estônia.

Leia também: Desdolarização global e o papel do Bitcoin: Arthur Hayes

A Estônia tem trabalhado para fortalecer suas leis de AML nos últimos anos, especialmente após a descoberta, em 2018, de que cerca de US$ 235 bilhões em capital ilícito haviam sido lavados por meio da filial estoniana do Danske Bank. A guerra entre Rússia e Ucrânia também influenciou o país a adotar uma regulamentação rigorosa de AML.

Além disso, como membro da União Europeia, a Estônia terá que implementar as leis do Mercado de Criptoativos (MiCA), que entrarão em vigor no início de 2025 e exigirão requisitos rigorosos de AML e prevenção ao terrorismo para empresas de criptomoedas.

Para mais informações visite:

https://youtu.be/TflxqGBlfEU

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pavel Durov
Criptomoedas

O CEO do Telegram, Pavel Durov, diz que mantém algumas centenas de milhões de dólares em bitcoin há 10 anos

Durante uma entrevista com Tucker Carlson, que foi ao ar na terça-feira, o cofundador e CEO do Telegram, Pavel Durov, disse que manteve algumas centenas de milhões de dólares em moeda fiduciária ou bitcoin nos últimos 10 anos. Em resposta a uma pergunta sobre o fato de a plataforma de mensagens criptografadas não aceitar dinheiro […]

Leia Mais
Lula imposto sobre o Bitcoin
Criptomoedas

Governo Lula quer aumentar para 22,5% os impostos para todos os usuários de Bitcoin no Brasil

O governo Lula anunciou que pretende aumentar os impostos para todos os usuários de criptomoedas em até 22,5%. Segundo o governo, a proposta não é criar um novo imposto, mas aumentar ainda mais as taxas para os usuários que possuem criptoativos. A ideia é ‘fechar o cerco’ com àqueles que estão usando criptoativos para driblar […]

Leia Mais
Halving do Bitcoin
Criptomoedas

O halving do Bitcoin está cada vez mais próximo, com menos de 2.900 blocos restantes

No momento, restam menos de 2.900 blocos até o próximo halving do Bitcoin. Para compreender o conceito de halving, é bom entender primeiro como surgem os novos bitcoins, principalmente por meio do processo de mineração de bitcoins. Isso envolve entidades, conhecidas como mineradores, que validam blocos repletos de transações que aguardam confirmação. Em sua busca […]

Leia Mais