TRF-2 derruba decisão de suspensão do Telegram

Bloqueio do Telegram é suspenso

Atendendo a um pedido de Palel Durov, CEO do Telegram, o juiz federal Flávio Lucas, da 2ª Turma Especializada do TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), suspendeu em parte a decisão que havia retirado o mensageiro do ar nesta quinta-feira. A liminar (íntegra – 505 KB) foi publicada neste sábado (29.abr.2023), pouco mais de 2 dias após a rede social ficar fora do ar no Brasil.

O juiz havia entendido que a medida afetava milhares de pessoas que não possuíam relação alguma com os grupos envolvidos:

“A medida de suspensão completa do serviço não guarda razoabilidade, considerando a afetação ampla em todo território nacional da liberdade de comunicação de milhares de pessoas absolutamente estranhas aos fatos sob apuração“…

disse o juiz

O magistrado também determinou que as empresas de telecomunicações (Vivo, Claro, Tim e Oi), o Google e a Apple sejam oficiados com urgência para que encerrem “qualquer tipo bloqueio ao aplicativo“.

Mesmo com o bloqueio suspenso, a multa de R$ 1 milhão por dia enquanto o Telegram não informar os dados sobre grupos neonazistas pela Justiça Federal, permanece.

Dados impossíveis de obter

O cofundador e CEO do Telegram, Pavel Durov, havia afirmado nesta quinta-feira (27) que a Justiça brasileira havia ordenado a entrega de dados “impossíveis” de serem coletados. Se referindo aos dados dos grupos neonazistas que estão sendo investigados. Em seu canal no aplicativo, ele afirmou que a empresa iria recorrer da decisão.

“No Brasil, um tribunal solicitou dados que são tecnologicamente impossíveis de obter. Estamos recorrendo da decisão e aguardando a resolução final. Não importa o custo, defenderemos nossos usuários no Brasil e seu direito à comunicação privada”

afirmou Durov

Durov também afirmou que, às vezes, quando leis locais vão contra a missão do Telegram, o aplicativo precisa deixar esses mercados.

“No passado, países como China, Irã e Rússia proibiram o Telegram devido à nossa posição de princípio sobre a questão dos direitos humanos. Tais eventos, embora infelizes, ainda são preferíveis à traição de nossos usuários e às crenças nas quais fomos fundados”.

concluiu

Leia também: Guia para usar Matrix, alternativa mais livre ao Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X
Tecnologia

E se o X for banido do Brasil?

Após as críticas de Elon Musk ao ministro Alexandre de Moraes, o STF incluiu o empresário no inquérito das fake news e já deu o aviso para que as operadores de internet fiquem de prontidão para bloquear o acesso dos internautas a rexe social X, caso o STF ordene. Além disso, Elon Musk recomendou, por […]

Leia Mais
Palel Durov
Tecnologia

CEO do Telegram alfineta a Meta após instabilidade do Facebook e Instagram

A partir do meio dia (horário de brasília) desta terça-feira, milhões de internautas foram surpreendidos com a instabilidade das redes sociais Facebook e Instagram. Ambas da empresa Meta, pertencente a Mark Zuckemberg. Enquanto as duas maiores redes sociais seguiam instáveis, Pavel Durov, o CEO do Telegram, aproveitou para alfinetar a Meta, afirmando que mesmo tendo […]

Leia Mais
Monark
Tecnologia

Bunker555: a plataforma de vídeos criada pelo Monark para concorrer com o YouTube

Após ter todas as contas no YouTube suspensas, o influencer Monark criou uma plataforma de vídeos concorrente, focada em total liberdade de expressão: o Bunker555. O anúncio foi feito pelo influencer em sua conta no X: Monark apresenta sua plataforma como capitalista e 100% livre de censura. Na página inicial do site, se encontra a […]

Leia Mais