Por: Tom Wilson e Tommy Wilkers

O Bitcoin subiu para o maior patamar em quase cinco meses nesta Terça-Feira, puxando as criptomoedas menores, depois que um grande pedido de um comprador anônimo desencadeou um frenesi de negociações, segundo analistas.

A principal criptomoeda do mercado subiu 20% no comércio asiático, quebrando o patamar de 5 mil dólares pela primeira vez desde meados de Novembro. No meio da tarde, havia se fixado em torno de US$ 4.800, o que representa um aumento de 16% em seu maior ganho em um dia desde Abril do ano passado.

O Bitcoin subiu para perto de 20 mil dólares no final de 2017, impulsionada por investidores de varejo. Mas os preços do ano passado caíram em 75%, com o comércio dominado por fundos de cobertura (hedge funds) menores e empresas relacionadas à criptografia.

“A alta de Terça-Feira provavelmente foi desencadeada por um pedido avaliado em US$ 100 milhões nas exchanges norte-americanas Coinbase e Kraken e na Bitstamp de Luxemburgo”, disse Oliver von Landsberg-Sadie, presidente-executivo da empresa de criptografia BCB Group.

“Houve uma única ordem que foi gerenciada por algoritmos em três locais, de cerca de 20.000 BTC no total”, disse ele.

“Se você olhar para os volumes em cada uma dessas três exchanges – havia, em sincronia, unidades de volume de cerca de 7.000 BTC em uma hora em cada uma delas”.

Dessa forma, os analistas não poderiam apontar quaisquer circunstâncias específicas que pudessem explicar o grande pedido do comprador misterioso.

Os mercados de criptomoedas tiveram até Março um período de relativa calma durante o ano, com o Bitcoin sendo negociado em torno de US$ 3.300 a US$ 4.200.

Grandes investidores institucionais ficaram em grande parte nos bastidores. A preocupação com as violações de segurança e a incerteza regulatória foram citadas como razões para a falta de entusiasmo geral em moedas digitais.

Em um sinal do fracasso do Bitcoin em ganhar igualdade com os mercados convencionais, a CBOE (Bolsa de Opções de Chicago) – que ofereceu os primeiros contratos futuros de Bitcoin dos EUA em 2017 – disse no mês passado que não ofereceria mais contratos futuros de Bitcoin.

“Altcoins” também surgem

Movimentos de preços descomunais que raramente são vistos nos mercados convencionais são comuns nos mercados de criptomoedas, onde a liquidez é escassa e os preços são opacos. Grandes ordens tendem a estimular a compra de traders algorítmicos, disse Charlie Hayter, fundador do site CryptoCompare.

Com o aumento do bitcoin, 6 milhões de transações ocorreram em uma hora, disse Hayter – três a quatro vezes a quantidade habitual, com pedidos concentrados em exchanges baseadas na Ásia.

O aumento do Bitcoin atingiu as criptomoedas menores, conhecidas como “altcoins“, sendo negociadas em alta. O eter da Ethereum e o XRP da Ripple, respectivamente a segunda e a terceira maiores moedas, saltaram mais de 10%.

Movimentos de preço de moedas menores tendem a ser correlacionados ao Bitcoin, que ainda representa pouco mais da metade do valor do mercado de criptomoedas.

“Normalmente, o Bitcoin é o líder do mercado e as altcoins tendem a seguir, no que diz respeito à direção e ao sentimento”, afirmou Mati Greenspan, analista da eToro, em Israel. “O Bitcoin de hoje está no banco do motorista”.

Confia a notícia completa clicando aqui.


Tradução por: João Gabriel (@jgcastro1985)
Revisão por: Paulo Droopy (@PauloDroopy)