Nicolas Maduro ordenou que o principal banco do país, o Banco da Venezuela, aceitasse a criptomoeda do país, o Petro (PTR) em todas as suas filiais, informou o Ministério da Fazenda no dia 4 de julho.

De acordo com o tweet, Maduro deu “a ordem expressa para abrir as mesas da Petro em todas as filiais do Banco da Venezuela”. O anúncio aparentemente veio durante um evento que celebrava o décimo aniversário da nacionalização do banco em questão.

Em 19 de Junho, Maduro anunciou que 924 milhões de bolívares (mais de US $ 92,5 milhões) foram alocados ao Banco Digital de Jovens e Estudantes para abrir um milhão de contas de carteira da Petro para a juventude do país. José Angel Alvarez, presidente da National Cryptocurrency Association do país, comentou ao CCN, agência de criptomoeda:

“É uma decisão ousada e correta avançar para uma economia híbrida, onde a moeda fiduciária de um país compete face a face com a criptomoeda”.

A Venezuela questionou as sanções dos Estados Unidos, incluindo aquelas aplicadas especificamente contra transações na moeda digital nacional do país, o Petro. Em Março, o presidente Trump proibiu os cidadãos americanos de comprar a Petro.

Em Maio, foi divulgada a notícia de que a Venezuela está considerando fechar acordos comerciais mútuos com a Rússia usando o rublo.

Fonte: Cointelegraph