O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, foi preso na manhã desta quinta-feira (11) pela polícia britânica na embaixada do Equador, em Londres. Horas depois, o Wikileaks liberou milhares de documentos governamentais e privados.

Início da lista publicada hoje.

A lista (confira aqui) está em ordem alfabética e a esmagadora maioria de seus arquivos curiosamente tem a mesma data e hora: ” 01-Jan-1984 01:01″. O ano de 1984 parece representar o conhecido Nineteen Eighty-Four, o conhecido romance distópico do clássico autor britânico George Orwell. No livro, Orwell mostra como uma sociedade oligárquica coletivista é capaz de reprimir qualquer um que se opuser a ela, retratando o cotidiano de um regime político totalitário e repressivo.

O termo “wikileaks” aparece na lista 20 vezes, contendo inclusive um arquivo de texto expositivo de como a CIA (órgão de inteligência americana) tentou censurar a organização (leia na íntegra aqui).

Temos também imagens de dois documentos que supostamente comprovam que o falecido empresário Steve Jobs teve HIV (link), como também um gigantesco arquivo (na casa dos milhares) com e-mails da política e advogada americana Hillary Clinton (link), relatórios da marinha e exército americano assim como documentos judiciais de diversos tipos.

O Brasil aparece duas vezes na lista, na primeira temos um arquivo compactado (.zip) com 131 outros arquivos referentes à socióloga e política brasileira Roseana Sarney, que também era filiada ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Nos documentos encontramos majoritariamente cartas e recibos, onde aparecem os nomes de Sarney, de José Brafman e de companhias associadas à eles (link).

A segunda vez que o Brasil aparece é num arquivo de texto (PDF) com 73 páginas, cujo assunto é um estudo de um projeto de energia em Nova Iguaçu, escrito pelo consultor J.H Penido Monteiro, em 2013 (link).