Uma campanha de caridade para permitir a transferência direta de US$ 1 milhão em doações de criptomoedas para venezuelanos registrou cerca de 60.000 beneficiários verificados e arrecadou US$ 279.000 até o momento. A notícia foi revelada em uma entrevista com o líder da campanha, Steve Hanke. O professor Hanke é professor de economia aplicada na Universidade Johns Hopkins, que serviu como conselheiro econômico do ex-presidente venezuelano Rafael Caldera entre 1995 e 1996.

O professor Hanke destacou que a campanha, apelidada de “Airdrop Venezuela”, está usando a infra-estrutura existente de e-wallet de blockchain e conectada a bancos da startup AirTM, com sede no México. Juntamente com um token de criptomoeda nativo denominado em dólares norte-americanos, o AirUSD, o serviço e-wallet também suporta mais nove criptomoedas, de acordo com um comunicado de imprensa de 2018. O professor Hanke disse à NPR que a campanha pretende que 100.000 venezuelanos registrados se qualifiquem para receber US$ 1 milhão em doações. Juntamente com os 60.000 beneficiários cadastrados, mais de US$ 279.000 foram levantados desde o seu lançamento no final de 2018.

O Professor Hanke enfatizou que as intenções da AirDrop Venezuela são “puramente humanitárias […] não há motivação política. É só para ajudar as pessoas dando-lhes algum poder de compra.” Ele ressaltou que o projeto tem como objetivo demonstrar como as criptomoedas podem ser usadas por agências de ajuda humanitária em todo o mundo para fornecer fundos e ajuda às pessoas necessitadas com segurança e transparência.

Fonte: Cointelegraph.